logo_express.jpg

Edição 08 – 05 de março de 2010_

PROMAB trabalha em duas novas ações

Além dos projetos de monitoramento de suas 17 microbacias experimentais, o PROMAB (Programa de Monitoramento e Modelagem de Bacias Hidrográficas), com o apoio do Laboratório de Hidrologia Florestal do Departamento de Ciências Florestais da Esalq/USP, está empenhado em dois projetos paralelos, que estão em fase de planejamento e expansão:

Metodologia utilizada para identificar zona ripária

No primeiro semestre de 2009, o PROMAB aperfeiçoou o método para mapeamento de zonas ripárias, baseado na identificação das áreas hidrologicamente sensíveis. O modelo baseia-se na topografia do terreno e informações de solos.

A metodologia se mostrou bem sucedida em avaliações realizadas em duas microbacias experimentais do PROMAB, nas empresas International Paper e Rigesa. Os resultados serão utilizados no planejamento de nova distribuição dos talhões florestais nas microbacias, visando proteger essas áreas com importantes funções hidrológicas.

Além de contribuir para a manutenção da estabilidade hidrológica da microbacia, essa proteção também favorece a melhoria da oferta de água a jusante. O zoneamento possibilita ainda o planejamento operacional, em termos de definição do melhor traçado de estradas e programação de colheita.

Com os resultados promissores observados junto à International Paper e Rigesa, a intenção do PROMAB é se preparar para oferecer mais esse produto às empresas interessadas.

Programa planeja ainda lançar projeto sobre sedimentos em plantios florestais

Em função de demanda das empresas e de ocorrências observadas no monitoramento das microbacias experimentais, o PROMAB está planejando um estudo que aprofunde o conhecimento sobre a dinâmica de produção de sedimentos em plantios florestais.

Esse projeto prevê a instalação de equipamentos para medição de sedimentos em suspensão de forma contínua, visando relacionar a origem dos sedimentos para avaliação hidrológica dos efeitos das práticas de manejo.

O PROMAB planeja dar início ao projeto a partir do segundo semestre deste ano e em breve a adesão estará aberta às suas empresas associadas. Mais informações pelo e-mail promab@ipef.br.

ie008-01.jpg
Assoreamento no tanque de sedimetação do vertedor de uma microbacia.
A perda de solo deve sempre ser um indicador com tolerância zero.

hr.gif

ABTCP-TAPPI 2010 abre inscrições para trabalhos voluntários

O 43º Congresso e Exposição Internacional de Celulose e Papel (ABTCP-TAPPI 2010), que ocorrerá entre os dias 4 e 6 de outubro, iniciou as inscrições de trabalhos voluntários e, este ano, apresenta uma novidade: foi aberta uma nova sessão técnica, que tratará o tema florestal. A iniciativa confirma a importância desta área para a sustentabilidade do setor de celulose e papel. As produções científicas podem ser inscritas até o dia 26 de março, através do site http://www.abtcp-tappi2010.org.br/

Passam a participar do Comitê Científico o diretor executivo do IPEF, Luiz Ernesto George Barrichelo, além de Ergilio Cláudio-da-Silva Jr., da Fibria, e Rubens Cristiano Damas Garlipp, da Sociedade Brasileira de Silvicultura (SBS).

Promovido pela Associação Brasileira Técnica de Celulose e Papel (ABTCP), em parceria com a Technical Association of the Pulp and Paper Industry (TAPPI), uma organização internacional de fabricantes de papel e celulose, o evento terá a sustentabilidade como tema central.

Anote:

ABTCP-TAPPI 2010 - 43º Congresso e Exposição Internacional de Celulose e Papel
De 04 a 06 de outubro de 2010
Transamérica Expo Center – São Paulo-SP
Telefone: +55 (11) 3874-2700
congresso2010@abtcp.org.br
exposicao@abtcp.org.br
http://www.abtcp-tappi2010.org.br

Publicado exclusivamente via eletrônica, o IPEF Express não possui periodicidade definida e visa agilizar a divulgação de notas e informações da Diretoria, Coordenadorias do IPEF, seus Programas Cooperativos e atividades correlatas.

Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais
http://www.ipef.br - ipef@ipef.br
Copyright 2009 IPEF. Reprodução permitida desde que citada a fonte.