logo_express.jpg

Edição 75 – 12 de agosto de 2014_

Grande patrimônio florestal nacional está ameaçado de desapropriação

A Estação Experimental de Ciências Florestais de Itatinga (EECFI), demonstra em sua história uma grande capacidade de sobrevivência.

Tudo começa por 1974, quando o prof. Helládio do Amaral Mello (fundador do IPEF), enviou o expediente (DS/266/74) ao reitor da USP, visando a incorporação do Horto Florestal de Itatinga ao patrimônio da universidade. Após anos de lutas e burocracia, um decisivo ofício do então deputado estadual, Dr. Jairo Ribeiro de Mattos, foi encaminhado pessoalmente ao Governador Orestes Quércia, no sentido de incorporar o quanto antes o Horto de Itatinga ao patrimônio da USP.  Em 28 de julho de 1988 foi efetivada a lavratura da escritura de doação do Horto de Itatinga à USP.

Essa data marcou a posse definitiva de um conjunto de árvores que, na época, era o maior patrimônio genético de Eucalyptus saligna existente no País e uma das principais espécies para as regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste brasileiras para a produção de lenha, carvão, celulose e chapas.

Hoje, além de ser um dos mais importantes bancos de materiais genéticos florestais de diversas espécies do Brasil e do mundo, a estação de Itatinga proporciona espaço para a realização de uma grande quantidade de experimentos, sendo que mais de 150 projetos de pesquisa estão em plena atividade no momento. Todo este recurso propicia o avanço da pesquisa florestal e, por consequência, a manutenção e o aumento da excelente produtividade florestal brasileira.


Banco de germoplasma de Itatinga de qualidade superior para múltiplos usos

Em dados recentes da Ibá (Industria Brasileira de Árvores), o setor florestal brasileiro representa algo entorno de 6% do PIB nacional, 3% das exportações e mantém 5 milhões de empregos (contando apenas as empresas ligadas a esta associação). Isto demonstra a importância da manutenção das pesquisas em andamento nesta estação.

Em maio deste ano, a Universidade de São Paulo foi surpreendida pelo ofício 173/2014 da Secretaria de Planejamento do Desenvolvimento Regional de SP, solicitando informações sobre o uso da área da estação de Itatinga, demonstrando o interesse do Governo do Estado de São Paulo na possibilidade de desapropriação de parte da área.


A estação também proporciona atividades de educação ambiental

Farta documentação demonstrou a intensa atividade de pesquisa nesta área, com inúmeras teses, dissertações e artigos científicos, além de demonstrar que existem projetos em andamento na referida área. Desde o início do processo, foi procurado demonstrar ao Governo a importância da área para as atividades de pesquisa e os prejuízos que poderiam ser causados por uma eventual desapropriação.

De fato, não parece ser razoável o entendimento de que uma estrutura de enorme valor estratégico, destinada ao desenvolvimento científico tecnológico de um importante setor da economia nacional, associado a um modelo inovador de gestão de patrimônio, venham a ser substituídos por investimentos em infraestrutura, sem o devido estudo de comparação de benefícios que as novas atividades possam a vir gerar para a região, que engloba o município de Itatinga, e para o País.


A estação abriga 27 espécies de mamíferos e
129 espécies de aves (algumas sob risco extinção em SP)

O IPEF e suas associadas, parceiros da Universidade de São Paulo nestas pesquisas, reforçam a necessidade da manutenção da área em posse da USP, como forma de proteger as pesquisas em curso, de manter o atual banco de material genético florestal (de valor imensurável), e suas áreas de proteção ambiental.

A ciência florestal e a competividade de nossa indústria de base florestal, não podem ficar órfãos de tamanho conhecimento ali propiciado!

Publicado exclusivamente via eletrônica, o IPEF Express não possui periodicidade definida e visa agilizar a divulgação de notas e informações da Diretoria, Coordenadorias do IPEF, seus Programas Cooperativos e atividades correlatas.


facebook.pngtwitter.png

Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais
http://www.ipef.br - ipef@ipef.br
Copyright 2009 IPEF. Reprodução permitida desde que citada a fonte.