Trinta sítios experimentais do TECHS já estão instalados nas cinco regiões do Brasil
18/07/2012

Do Pará ao Rio Grande do Sul, e do Mato Grosso do Sul à Bahia, já existem ensaios do projeto TECHS em crescimento, e sujeitos às distintas condições climáticas e edáficas do Brasil”, informa, animado, Otávio Campoe, coordenador técnico do programa.

O programa cooperativo TECHS (Tolerância de Eucalyptus Clonais ao Estresses Hídrico e Térmico) visa avaliar a tolerância dos 18 principais clones de eucalipto comercialmente plantados aos estresses hídrico, térmico e biótico (pragas e doenças) nos diferentes domínios climáticos do Brasil e Uruguai. Assim, 26 empresas florestais definiram e permutaram clones no final de 2011, e no primeiro semestre de 2012 concluíram a instalação de 30 sítios experimentais. Este gradiente edafo-climático continental (além dos 30 sítios do Brasil, mais 2 sítios serão instalados em outubro no Uruguai) representa uma Plataforma de pesquisa aberta à comunidade científica para melhor compreensão dos fatores que influenciam a produtividade das florestas de eucalipto, e os fatores genéticos que distinguem os clones nas suas habilidades a lidarem com os estresses abióticos e bióticos.

Espera-se uma ampla aplicação prática dos resultados nas áreas de zoneamento-ecológico, manejo silvicultural, manejo de proteção e melhoramento genético. Cada ensaio contém clones organizados em um teste de exclusão de chuva (acentuando o déficit hídrico) e um teste de espaçamento, cobrindo uma área de cerca de 6 ha.

Segundo o coordenador científico do TECHS, prof. José Luiz Stape “uma das maiores preocupações do TECHS em 2012 é a adequada sobrevivência e uniformidade de todos os clones em todos os ensaios. Isso é essencial para avaliarmos efetivamente os efeitos edafoclimáticos, ao propiciarmos condições ideais de preparo de solo e nutrição. Para isso, decidimos pela vistoria de cada TECHS para assegurar a qualidade inicial e esclarecer potenciais dúvidas dos técnicos responsáveis”. Assim, 22 sítios experimentais já foram visitados pelo coordenador técnico do TECHS, Otávio Campoe. “Nas visitas tenho detectado extremo zelo pela instalação dos ensaios, com esmerado preparo de solo, fertilização, controle de matocompetição e replantios”, informa Otávio. Ao final da visita a todos os TECHS, programada já para julho, um relatório de instalação será elaborado e enviado a todos os participantes do programa, como registro e marco da qualidade inicial do plantio.

A primeira avaliação oficial do TECHS será efetuada aos 6 meses de idade, avaliando-se a altura das plantas. A partir daí, as medições passam a ser semestrais, sempre nos meses de outubro (final do período seco) e abril (final do período de chuvas) para capturar o efeito da água no crescimento. Mais informações sobre o TECHS podem ser encontradas no site do IPEF em http://www.ipef.br/techs.


Plantio do TECHS recém instalado

Temas Relacionados: TECHS, Eucalyptus, Deficit Hídrico, Deficit Térmico




Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais
Via Comendador Pedro Morganti, 3500 - Bairro Monte Alegre
CEP: 13415-000 - Piracicaba, SP - Brasil
Reprodução permitida desde que citada a fonte.