IPEF instala ensaio de interação entre sítio, genótipo, espaçamento e silvicultura em Pinus taeda
13/07/2011

Foi instalado em maio o projeto de pesquisa “Impacto do espaçamento e silvicultura em materiais genéticos de Pinus taeda com distintas arquiteturas de copa” em Rio Negrinho (SC), que é parte integrante de um estudo financiado nos Estados Unidos pelo Centro de Pesquisa Florestal da National Science Foundation (CAFS) e pela Cooperativa de Produtividade Florestal (FPC).

Trata-se de um amplo estudo composto por três diferentes ensaios: um delineamento fatorial em blocos com três repetições, sendo dois níveis de intensidade silvicultural, três espaçamentos e seis diferentes genótipos de P. taeda americanos (4 clones e 2 seminal) e um seminal, testemunha, brasileiro; um ensaio Nelder, em duas repetições, com os diferentes genótipos; um ensaio de teste de progênies, com 12 repetições, e dois níveis silviculturais, considerando 38 materiais genéticos, sendo 13 americanos e 25 brasileiros. A interação com o sítio se deve ao fato deste ensaio estar também instalado na Virgínia e na Carolina do Norte nos Estados Unidos. Os materiais genéticos foram fornecidos pela ArborGen, empresa associada do IPEF.

O projeto é coordenado pelos pesquisadores Tom Fox (Virginia Polytechnic Institute and State University) e José Luiz Stape (North Carolina State University), e foi implantado no Brasil pelos engenheiros florestais, Clayton Alcarde Alvares (IPEF), Renato Lima e Mármonn Nadolny (Valor Florestal).

Segundo Clayton “estão previstas avaliações dos padrões de crescimento, alocação de carbono, calibração e aplicação de modelos ecofisiológicos para interpretar os efeitos de diferentes regimes de condições climáticas, edáficas e silviculturais”.

Considerando essas avaliações, Tom considera que “este ensaio, sem dúvida, é o primeiro estudo com tamanho rigor científico de ter os mesmos materiais genéticos (clones e sementes) de P. taeda no Brasil e nos EUA, e exatamente nos mesmos delineamentos experimentais. Será um marco no conhecimento do “por que” o P. taeda apresenta maior produtividade no Brasil comparativamente aos EUA”. Stape ressalta que como a Valor e ArborGen fazem parte do Programa de Produtividade Potencial do Pinus no Brasil (PPPIB), este projeto terá uma grande sinergia com este programa do IPEF.

Sobre o PPPIB

O PPPIB é formado por nove empresas/instituições florestais (Arauco, Arborgen, Caxuana, Juliana, Klabin, Masisa, Rigesa, Valor Florestal e Esalq/USP) e conduz três ensaios de irrigação-fertilização-manejo no Paraná, São Paulo e Minas Gerais e 96 pares de parcelas quadrigêmeas de inventário para fins de estudos de ecofisiologia e modelagem. Mais informações sobre o PPPIB em http://www.ipef.br/pppib


Plantio de Pinus na Estação Experimental de Anhembi

Temas Relacionados: Pinus, PPPIB, experimento, interação, sítio, genótipo, espaçamento, silvicultura




Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais
Via Comendador Pedro Morganti, 3500 - Bairro Monte Alegre
CEP: 13415-000 - Piracicaba, SP - Brasil
Reprodução permitida desde que citada a fonte.