PCMF monta rede experimental para estudar resistência à ferrugem
18/04/2013

Empresas do setor florestal vêm nos últimos anos desenvolvendo programas de melhoramento visando à obtenção de materiais vegetais resistentes a ferrugem. Um dos fatores que dificultam esse processo é o longo tempo necessário para cada ciclo de seleção. No caso específico da Puccinia psidii, uma estratégia para auxiliar estes programas é a utilização de marcadores moleculares ligados a genes que conferem resistência a doença, associados a parâmetros quantitativos, uma vez que conhecer a resposta de resistência é de extrema importância a fim de embasar a seleção de genótipos resistentes.

Com isso, foi realizada a seleção de indivíduos na empresa Suzano, em Itararé, para inicio de um projeto que tem como objetivo a identificação de marcadores moleculares ligados a genes que conferem resistência à ferrugem em Eucalyptus grandis, bem como identificar parâmetros de avaliação quantitativa da ferrugem.

O material genético utilizado no presente estudo é oriundo do programa de melhoramento do IPEF, proveniente de uma seleção de genótipos de Eucalyptus grandis, que já vem sendo testados pela área de Patologia Florestal, do Departamento de Produção Vegetal (DPV), na Faculdade de Ciências Agronômicas de Botucatu (FCA/Unesp).


Teste Experimental

Temas Relacionados: PCMF, Ferrugem




Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais
Via Comendador Pedro Morganti, 3500 - Bairro Monte Alegre
CEP: 13415-000 - Piracicaba, SP - Brasil
Reprodução permitida desde que citada a fonte.