Programa Cooperativo sobre Monitoramento e Modelagem de Bacias Hidrográficas

O PROMAB (Programa Cooperativo sobre Monitoramento e Modelagem de Bacias Hidrográficas), como um dos programas cooperativos do IPEF, constitui um programa de pesquisa coordenado pelo Laboratório de Hidrologia Florestal do Departamento de Ciências Florestais da ESALQ/USP. Ao todo, o programa conta hoje com 24 microbacias experimentais, sendo 13 microbacias com florestas plantadas de eucalipto, 3 microbacias com florestas plantadas de pinus, 1 microbacia com floresta plantada de Teca, 5 microbacias com vegetação nativa e 2 microbacias com pastagem.

Cada projeto é coordenado, mantido e analisado individualmente. Assim, os dados coletados na microbacia ou nas microbacias experimentais de uma dada empresa participante são analisados e armazenados em um sistema de gerenciamento de banco de dados, localizado no servidor do IPEF, e são disponibilizados à empresa na forma de um relatório. Os resultados globais do conjunto das microbacias também possibilitam análises hidrológicas visando à identificação de similaridades, tendências e comportamentos das relações entre o manejo de florestas plantadas e a água, em termos de quantidade (consumo de água por florestas plantadas) e qualidade (impactos hidrológicos das atividades de manejo), assim como a indicação da similaridade hidrológica das diferentes regiões.

Os primórdios do PROMAB foram projetos de pesquisa do Laboratório de Hidrologia Florestal, do Departamento de Ciências Florestais da ESALQ/USP, o primeiro deles instalado em 1987, em duas microbacias experimentais localizadas em áreas da então FLORIN Reflorestamento Integrado (hoje Fibria Celulose S/A), na Fazenda Bela Vista, Município de Santa Branca, no Vale do Paraíba, SP. Ao longo dos anos, outras empresas foram ingressando no programa, aumentando gradativamente o número de microbacias experimentais. A rede experimental atualizada pode ser observada na figura a seguir.

Mapa de Localização
Localização das microbacias experimentais pertencentes ao PROMAB

Objetivo

O PROMAB tem como foco o uso da microbacia hidrográfica experimental para a avaliação dos efeitos do manejo florestal sobre os recursos hídricos. A preocupação para com os efeitos das plantações florestais sobre a água é tema permanente e atual no mundo todo e vários resultados mostram que o manejo de plantações florestais pode resultar em impactos hidrológicos na escala de microbacias hidrográficas. As variáveis básicas destes possíveis impactos envolvem pelo menos os seguintes aspectos: conflitos pelo uso da água, saúde da microbacia, impactos a jusante e manutenção do potencial produtivo do solo.

No nível atual de conhecimento, a análise destas variáveis pode ser feita a partir do uso dos seguintes indicadores hidrológicos: balanço hídrico da microbacia, regime hidrológico e pico de vazão, variáveis físicas e químicas da água do riacho, perdas de solo e de nutrientes e nível do lençol freático. Desta forma, a premissa básica é a de que alterações nestes componentes hidrológicos da microbacia podem ser vistas como indicadores para o monitoramento, de longo prazo, da sustentabilidade hídrica do manejo de florestas plantadas.

Microbacias dos Associados

Selecione abaixo a empresa e conheça suas microbacias experimentais.

» Copener Florestal
» Estação Experimental de Itatinga
» Fibria
» Klabin PR
» Klabin SC
» Rigesa Celulose, Papel e Embalagens
» Suzano Papel e Celulose
» Stora Enso
» UPM Forestal Oriental
» Veracel Celulose




Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais
Via Comendador Pedro Morganti, 3500 - Bairro Monte Alegre
CEP: 13415-000 - Piracicaba, SP - Brasil
Reprodução permitida desde que citada a fonte.