Scientia Forestalis, volume 43, n. 106
p.251-259, junho de 2015

Fatores determinantes da regeneração natural em um fragmento de floresta com araucária no planalto catarinense

Determinant factors on natural regeneration in a fragment of araucaria forest on Santa Catarina State plateau

Pedro Higuchi1
Ana Carolina da Silva1
Fernando Buzzi Junior2
Marcelo Negrinii3
Tiago de Souza Ferreira4
Sheila Trierveiler de Souza5
Kristiana Fiorentin dos Santos6
Manoela Bez Vefago2

1Professor(a) Doutor(a) do Departamento de Engenharia Florestal. UDESC - Universidade do Estado de Santa Catarina. Av. Luiz de Camões, 2090. B. Conta Dinheiro, 88520-000, Lages, SC. E-mail: higuchip@gmail.com; carol_sil4@yahoo.com.br.
2Graduando(a) em Engenharia Florestal. UDESC - Universidade do Estado de Santa Catarina. Av. Luiz de Camões, 2090. B. Conta Dinheiro, 88520-000, Lages, SC. E-mail: buzzifjr@hotmail.com; manuvefago@hotmail.com.
3Mestrando em Recursos Naturais. UFRR - Universidade Federal de Roraima. Av. Ene Garcez, 2413, B. Aeroporto, 69304-000, Boa Vista, RR. E-mail: engfmarcelonegrini@hotmail.com
4Mestre em Engenharia Florestal. UDESC - Universidade do Estado de Santa Catarina. Av. Luiz de Camões, 2090. B. Conta Dinheiro, 88520-000, Lages, SC. E-mail tiagoferreira@florestal.eng.br.
5Mestranda em Manejo do Solo. UDESC - Universidade do Estado de Santa Catarina. Av. Luiz de Camões, 2090. B. Conta Dinheiro, 88520-000, Lages, SC. E-mail: sheila_tsouza@hotmail.com
6Doutoranda em Engenharia Florestal. UFSM- Universidade Federal de Santa Maria. Campus Universitário - Centro de Ciências Rurais - Prédio 44 - Sala 5243 - CEP: 97105-900 - Santa Maria - RS. E-mail: kristianafiorentin@gmail.com

Recebido em 17/03/2014 - Aceito para publicação em 12/12/2014

Resumo

O presente estudo teve como objetivos caracterizar a estrutura e a composição florística do componente arbóreo regenerativo de um fragmento de floresta com araucária no Planalto Catarinense e avaliar a influência de variáveis ambientais e do componente arbóreo adulto (árvores com DAP ≥ 5cm) sobre a organização espacial deste. Em 50 unidades amostrais, foram anotados dados referentes à identificação botânica e a classe de altura (h) de todos regenerantes: Classe 1 (20 cm ≤ h ≤ 1 m), Classe 2 (1 < h ≤  3 m) e Classe 3 (h > 3 m e DAP < 5 cm). Também foram coletadas, em cada unidade amostral, variáveis edáficas, de relevo, de cobertura do dossel e de densidade e riqueza do componente arbóreo adulto. A relação entre as variáveis estudadas e o componente regenerativo de cada classe foi analisada pela Análise de Correspondência Canônica (CCA). Foram encontradas 79 espécies arbóreas regenerantes. Myrtaceae se destacou como a família de maior riqueza, com 20 espécies. Os resultados demonstraram acentuada redução da abundância da classe de menor para a de maior tamanho e que o componente regenerativo foi pouco influenciado pelas variáveis estudadas.
Palavras-chave: Componente regenerativo, floresta ombrófila mista, análise multivariada.

Abstract

This study aimed to describe the floristic and regenerative component structure in an Araucaria Forest fragment and to evaluate the influence of environmental variables and adult tree component (DBH ≥ 5 cm) on natural regeneration spatial organization. In 50 sampling units, botanic identification and the height class (h) were recorded for all regenerative individuals: Class 1 (20 cm ≤ h ≤ 1 m), Class 2 (1 < h ≤ 3 m), Class 3 (h > 3 m e DBH < 5 cm). In addition, in each plot, variables related to soil, terrain, canopy cover, density and richness of trees with DBH ≥ 5 cm were recorded. The relation between the regenerative component and the variables were analyzed by a Canonical Correspondence Analysis (CCA). The survey totaled 79 regenerative species. The richest family was Myrtaceae with 20 species. The results showed a sharp reduction in abundance from the smaller to the larger size class and little influence of the analyzed variables on regenerative component spatial organization.
Keywords: Regenerative component, mixed shade forest, multivariate analyses.





Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais
Via Comendador Pedro Morganti, 3500 - Bairro Monte Alegre
CEP: 13415-000 - Piracicaba, SP - Brasil
Reprodução permitida desde que citada a fonte.