Scientia Forestalis, volume 41, n. 98
p.159-164, junho de 2013

Bamboo abundance, edge effects, and tree mortality in a forest fragment in Southwestern Amazonia

Densidade de bambu, efeito de borda e mortalidade arbórea em um fragmento florestal no Sudoeste da Amazônia

Wendeson Castro1
Cleber Ibraim Salimon1
Herison Medeiros1
Izaias Brasil da Silva1
Marcos Silveira1

1Botany and Plant Ecology Laboratory, Natural Science and Biology Center, Universidade Federal do Acre, BR 364 km 4, Distrito Industrial, Rio Branco, AC 69900-000, Brazil. E-mail: wendesoncastro@gmail.com.

Recebido em 16/02/2012 - Aceito para publicação em 30/01/2013

Resumo

Nós mostramos que em uma floresta dominada por bambu no Sudoeste da Amazônia a taxa de mortalidade arbórea não difere entre a borda e o interior da floresta, apesar da abundância de bambu ser maior na borda. Nós testamos se a densidade de bambu afeta a taxa de mortalidade em três áreas de um fragmento florestal com cerca de 1166 ha. Estimamos a taxa de mortalidade para árvores com DAP>10 cm em um intervalo de 1,8 anos. A densidade de bambu foi cerca de três vezes maior na borda (3394±1121 colmos ha-1) que no interior (1123±754 colmos ha-1) da floresta. A taxa anual de mortalidade não diferiu significativamente entre borda (3.8 ± 2,6 % y-1) e interior (3.6 ± 2.6 % y-1), mas os principais modos de mortalidade ‘morta em pé’ e ‘quebrada’ diferiram significativamente entre borda e interior da floresta. A mortalidade arbórea foi maior para árvores menores (10-30 DAP) e não diferiu entre borda e interior da floresta. No entanto, a densidade de bambu explicou 23% da variabilidade na taxa de mortalidade na borda. Estes resultados mostram que os padrões de mortalidade em florestas com bambu podem ser diferentes daqueles observados em outras florestas da Amazônia, porém o efeito de borda pode ter sido mascarado pela idade avançada da borda. Florestas com bambu dominante implicam numa taxa de reposicão mais rápida na Amazônia ocidental, o que pode estar refletido no fato de as taxas de mortalidade serem semelhantes entre a borda e o interior.
Palavras-chave: classe de diâmetro, dinâmica florestal, modo de mortalidade, taxa de mortalidade, Guadua weberbaueri

Abstract

We show that in a bamboo-dominated forest in Southwestern Amazonia the tree mortality rate does not differ between the forest edge and the interior, even though bamboo abundance is higher closer to the edge. We tested whether bamboo abundance affects mortality rate in three areas within a forest fragment of ca. 1,166 ha. We estimated mortality rate for trees with > 10 cm dbh during 1.8 years. Bamboo abundance was approximately three times higher on the edge (3394 ± 1121 culms ha-1) than in the interior of the forest (1123 ± 754 stems ha-1). The annual mortality rate did not differ significantly between edge (3.8 ± 2.6 % y-1) and interior (3.6 ± 2.6 % y-1), but the main modes of tree mortality, ‘dead standing’ and ‘broken,’ differed significantly between edge and interior. Tree mortality was higher for smaller trees (10-30 dbh) and did not differ between forest edge and interior. However, bamboo abundance explained 23% of tree mortality rate at the edge, even though edge effects may have been masked by advanced edge age. Bamboo dominated forests impose a faster turnover time in forests of western Amazonia, which may be reflected in mortality rates being similar between edge and forest interior.
Keywords: diameter classes, forest dynamics, mortality mode, mortality rate, Guadua weberbaueri





Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais
Via Comendador Pedro Morganti, 3500 - Bairro Monte Alegre
CEP: 13415-000 - Piracicaba, SP - Brasil
Reprodução permitida desde que citada a fonte.