Scientia Forestalis, volume 44, n. 109
p.19-31, março de 2016
DOI: dx.doi.org/10.18671/scifor.v44n109.02

Estrutura populacional e potencial para o manejo de Bertholletia excelsa (Bonpl.) em castanhais nativos do Acre e Amapá

Population structure and management potential for Bertholletia excelsa (Bonpl.) in Acre and Amapá stands

Ezaquiel de Souza Neves1
Lúcia Helena de Oliveira Wadt2
Marcelino Carneiro Guedes3

1Engenheiro Florestal, Mestre em Ciências, Inovação e Tecnologia para Amazônia. UFAC - Universidade Federal do Acre. BR 364, Km 04, Distrito industrial - CEP: 69.920-900 - Rio Branco, AC, Brasil. E-mail: ezaquiel.neves@yahoo.com.br
2Pesquisadora Doutora. Embrapa Rondônia. BR 364 Km 5,5, sentido Cuiabá - Caixa Postal 127 - 76815-800 - Porto Velho, RO, Brasil. E-mail: lucia.wadt@embrapa.br
3Engenheiro Florestal, Pesquisador. Embrapa Amapá. Rodovia Juscelino Kubitschek, Km 5, - 68903-419, Macapá, AP, Brasil. E-mail: marcelino.guedes@embrapa.br

Recebido em 19/08/2014 - Aceito para publicação em 30/07/2015

Resumo

Este estudo discute a estrutura populacional e o potencial para o manejo de castanhais em duas regiões extremas da Amazônia (Acre e Amapá), avaliando a densidade de castanheiras, a distribuição diamétrica, e variáveis de copa. O diâmetro a 1,3 m do solo (DAP), a forma e posição da copa, presença de cipós na copa e status reprodutivo foram avaliados para cada árvore mapeada (DAP ≥ 10 cm) em parcelas permanentes de 9 ha. Foram inventariadas seis parcelas em cada Estado, totalizando 108 ha de amostragem. A densidade e distribuição de indivíduos em classes de diâmetro foram determinadas por região (Alto Acre ou Alto Cajari) e dentro de cada região. No total, foram mapeadas 610 castanheiras, sendo 124 no Alto Acre e 486 no Alto Cajari. A densidade de castanheiras nos castanhais do Alto Cajari foi quatro vezes maior que no Alto Acre. Os castanhais do Alto Cajari apresentaram árvores com melhores características para a produção, como forma e posição da copa, bem como menor ocorrência de cipós na copa das árvores. Em termos de estrutura populacional, o castanhal do Sororoca apresentou problemas recentes com a regeneração ou alteração na dinâmica da regeneração natural ao longo do tempo, talvez por ser uma área de transição cerrado-floresta. Ambas regiões apresentaram castanhais com potencial para o manejo, com necessidades específicas de tratos silviculturais que favoreçam o recrutamento de jovens no Sororoca (AP) e corte de cipós no Filipinas (AC).
Palavras-chave: distribuição diamétrica, castanha-da-amazônia, recrutamento.

Abstract

This study discusses the population structure and management potential of Brazil nut in two Amazonian regions (Acre and Amapá). We surveyed density, diameter distribution, and canopy variables. Diameter of 1.3m soil (DAP), crown form and position, presence of vines and reproductive status were evaluated for each Brazil nut tree (dbh ≥ 10 cm) in 9 ha permanent plots. In each State, we surveyed six plots, totaling 108 ha. The density and distribution of individuals in diameter class were determined by region and within each region (sites). In total, 610 Brazil nut trees were mapped: 124 in  Alto Acre and 486 in Alto Cajari. In Alto Cajari Brazil nut tree density was four times higher than in Alto Acre. Alto Cajari had Brazil nut trees with better features for fruit production as crown form and position, as well as lower incidence of vines in the crowns. In terms of population structure, Sororoca had recent problems with Brazil nut trees regeneration or change of natural regeneration dynamics over time, perhaps because it is an area of savanna-forest transition. Both regions (Alto Acre e Alto Cajari) showed Brazil nut stands with a good potential for management. However, there were specific needs for silvicultural treatments. Sororoca (AP) needs to improve recruitment of new Brazil nut trees and Filipinas (AC) is in need of vine cutting.
Keywords: diameter distribution, amazon nut, Brazil nut, recruiting.





Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais
Via Comendador Pedro Morganti, 3500 - Bairro Monte Alegre
CEP: 13415-000 - Piracicaba, SP - Brasil
Reprodução permitida desde que citada a fonte.