Scientia Forestalis, volume 45, n. 114
p.249-259, junho de 2017
DOI: dx.doi.org/10.18671/scifor.v45n114.02

Relação da grã com algumas variáveis do crescimento e propriedades da madeira de Khaya ivorensis

Relationship between the grain pattern and some growth variables and wood properties of Khaya ivorensis

Graziela Baptista Vidaurre1
João Gabriel Missia da Silva2
Mayra de Castro3
José Clailson Franco Coelho4
Alice Soares Brito2
Jordão Cabral Moulin5

1Professora Adjunto no Departamento de Ciências Florestais e da Madeira. UFES - Universidade Federal do Espírito Santo / Centro de Ciências Agrárias e Engenharias. Av. Governador Lindemberg, 31 – Centro - 29550000 - Jerônimo Monteiro, ES, Brasil. E-mail: grazividaurre@gmail.com
2Doutorando(a) em Ciências Florestais. UFES - Universidade Federal do Espírito Santo / Centro de Ciências Agrárias e Engenharias. Av. Governador Lindemberg, 31 – Centro - 29550000 - Jerônimo Monteiro, ES, Brasil. E-mail: j.gabrielmissia@hotmail.com; alice.ifnmg@yahoo.com.br
3Graduanda em Engenharia Florestal. UFES - Universidade Federal do Espírito Santo / Centro de Ciências Agrárias e Engenharias. Av. Governador Lindemberg, 31 – Centro - 29550000 - Jerônimo Monteiro, ES, Brasil. E-mail: mayra_castro16@hotmail.com
4Professor substituto no Centro Multidisciplinar - Campus Floresta. UFAC - Universidade Federal do Acre. Estrada do Canela Fina, Km 12, Gleba Formoso, Lote 245 - Colônia São Francisco – 69980000 – Cruzeiro do Sul, AC, Brasil. E-mail: clailson.ufac@hotmail.com;
5Doutorando em Ciência e Tecnologia da Madeira. UFLA – Universidade Federal de Lavras / Departamento de Ciências Florestais. Campus Universitário -37200000 - Lavras, MG, Brasil. E-mail: jordao_cm@hotmail.com

Recebido em 22/04/2016 - Aceito para publicação em 09/01/2017

Resumo

Os plantios de mogno africano estão em desenvolvimento no Brasil, porém, há pouco conhecimento sobre a qualidade da madeira e sua relação com o crescimento das árvores. O objetivo deste trabalho foi avaliar a relação da grã com as variáveis dendrométricas das árvores, índices de qualidade das toras e propriedades físicas e mecânicas da madeira de Khaya ivorensis. Foram colhidas cinco árvores, aos 19 anos de idade, na Reserva Natural Vale, em Linhares, ES. A altura comercial e o diâmetro a altura do peito (DAP) das árvores foram mensurados, previamente, bem como os índices de qualidade das toras. As toras foram desdobradas em pranchões diametrais, e destes foram preparados os corpos de prova para todas as análises da madeira, em acordo com as normas vigentes. Para determinação do ângulo da grã, foram produzidos corpos de prova de 125 cm³, que foram divididos radialmente e escaneados para a mensuração do máximo desvio angular (MAD). A relação entre o MAD e as variáveis dendrométricas, índices de qualidade das toras e propriedades físico-mecânicas da madeira, foi avaliada pela correlação linear de Pearson. Observou-se a inexistência de relação entre o MAD e as variáveis dendrométricas, o índice de qualidade das toras e as propriedades mecânicas analisadas. O MAD teve uma forte relação, porém não significativa com a contração tangencial, e mediana com a densidade básica e contração longitudinal. Já a contração radial e volumétrica aumentaram proporcionalmente aos desvios da grã, situação oposta à observada para o fator anisotrópico da madeira.
Palavras-chave: Mogno africano, Máximo desvio angular, Qualidade da madeira.

Abstract

African mahogany plantations are under development in Brazil, however, there is little knowledge about wood quality and its relationship with the growth of the trees. The aim was evaluate the relationship of grain with dendrometric variables of trees, quality indexes of logs and physical and mechanical properties of wood Khaya ivorensis. Five trees were harvested at 19 years of age, in the Vale Nature Reserve in Linhares, Espírito Santo, Brazil. Commercial height and diameter at breast height (DBH) of trees were measured, previously, as well as the quality indexes of the logs. The logs were sawn in diametrical boards, and of these were prepared specimens for all the analysis of wood, according to current technical standards. To determine the grain angle, specimens of 125 cm³ were prepared, which were split radially and scanned to measure the maximum deviation angular (MAD). The relationship between MAD and the dendrometric variables, quality indexes of logs and physical and mechanical properties of wood were evaluated by Pearson correlation. We observed that there is no relationship between MAD and dendrometric variables, the quality indexes of logs and mechanical properties analyzed. The MAD had a good relationship, but not significant with the tangential shrinkage, and median with the specific gravity and longitudinal shrinkage. The radial and volumetric shrinkage increases proportion to grain deviations; an opposite situation to that observed for the anisotropic factor of wood.
Keywords: African mahogany, Maximum deviation angle, Wood quality.





Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais
Via Comendador Pedro Morganti, 3500 - Bairro Monte Alegre
CEP: 13415-000 - Piracicaba, SP - Brasil
Reprodução permitida desde que citada a fonte.