Scientia Forestalis, volume 46, n. 119
setembro de 2018
DOI: dx.doi.org/10.18671/scifor.v46n119.02

Rugosidade da superfície de madeiras amazônicas

Surface roughness of Amazonian woods

Keiti Mendes Pereira1
Rosilei Aparecida Garcia2
Alexandre Miguel do Nascimento3

1Professora Mestra do Departamento de Ciências Agrárias. UFC - Universidade Federal do Acre. Estrada Dias Martins, BR 364 - Km 04 - 69915-900 - Rio Branco, AC, Brasil. E-mail: keiti.roseani@gmail.com.
2Professora Associada do Departamento de Produtos Florestais. UFRRJ - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Instituto de Florestas. BR 465 - Km 07 - Campus de Seropédica - 23890000 - Seropédica, RJ, Brasil. E-mail: rosileigar@hotmail.com.
3Professor Titular do Departamento de Produtos Florestais. UFRRJ - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Instituto de Florestas. BR 465 - Km 07 - Campus de Seropédica - 23890000 - Seropédica, RJ, Brasil. E-mail: alexmnasci@gmail.com.

Recebido em 06/07/2017 - Aceito em 12/12/2017

Resumo

A rugosidade é um parâmetro importante na avaliação da qualidade da superfície da madeira pois afeta o desempenho de adesivos e revestimentos e, consequentemente, a qualidade do produto final. A rugosidade depende das operações de usinagem, da estrutura anatômica da madeira e da combinação entre ambas. O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito das condições de preparo da superfície (aplainamento e lixamento) e da estrutura anatômica na rugosidade superficial de oito espécies de madeiras amazônicas. As madeiras estudadas foram: abiurana (Pouteria guianensis), garapeira (Apuleia molaris), jequitibá (Cariniana sp.), cedro (Cedrela odorata), angelim (Parkia pendula), angelim pedra (Hymenolobium excelsum), cerejeira (Amburana acreana) e cumaru (Dipteryx odorata). As madeiras foram classificadas de acordo com a textura (fina, média e grossa) e a densidade aparente determinada segundo a ASTM D 2395-93. Análises anatômicas foram realizadas pela aquisição de imagens digitais e os vasos mensurados pelo software Image-Pro® Plus. A rugosidade superficial foi determinada pelo rugosímetro de agulha modelo TR 200 segundo a norma NBR ISO 4287:2002 em que foram obtidos os parâmetros de amplitude (Ra, Rz, Rt, Rp e Rv). A textura da madeira afetou significativamente a rugosidade superficial, principalmente na superfície lixada. O lixamento diminuiu a rugosidade superficial das madeiras para todos os parâmetros, exceto para o parâmetro Rv das madeiras de angelim pedra e cumaru.
Palavras-chave: parâmetros de amplitude, textura da madeira, usinagem.

Abstract

Roughness is an important parameter to evaluate the quality of wood surface because it affects the adhesive and coating performance and thus the quality of the final product. The roughness depends on the machining operations, wood anatomical features and combination of both. The objective of this study was to evaluate the effect of surface preparation conditions (planing and sanding) and the anatomical structure on the surface roughness of the eight Amazonian wood species. The studied woods were: abiurana (Pouteria guianensis), garapeira (Apuleia molaris), jequitibá (Cariniana sp.), cedro (Cedrela odorata), angelim (Parkia pendula), angelim pedra (Hymenolobium excelsum), cerejeira (Amburana acreana) and cumaru (Dipteryx odorata). Woods were classified according to the texture (fine, medium and coarse) and the apparent density determined following the ASTM D 2395-93 norms. Anatomical analyses were performed by acquisition of digital images and vessel parameters measured by the Image-Pro® Plus software. Surface roughness was determined by the needle type roughmeter model TR 200 according to NBR ISO 4287:2002, and amplitude parameters (Ra, Rz, Rt, Rp and Rv) were obtained. Wood texture affected significantly surface roughness, principally in sanded surfaces. Sanding reduced the surface roughness for all parameters, except for the Rv parameter of angelim pedra and cumaru woods.
Keywords: amplitude parameters, wood texture, machining.





Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais
Via Comendador Pedro Morganti, 3500 - Bairro Monte Alegre
CEP: 13415-000 - Piracicaba, SP - Brasil
Reprodução permitida desde que citada a fonte.