Scientia Forestalis, volume 46, n. 120
dezembro de 2018
DOI: dx.doi.org/10.18671/scifor.v46n120.02

Quality of machined surfaces and specific cutting energy in wood of two African mahogany species

Qualidade de superfícies usinadas e energia específica de corte em madeira de duas espécies de mogno Africano

Anna Carolina de Almeida Andrade1
Mônica Bezerra de Oliveira2
José Reinaldo Moreira da Silva2
Jordão Cabral Moulin2
Milene Teixeira de Souza2
Lidiane Costa Lima2

1Centro de Ciências Aplicadas, Universidade Federal de Sergipe – UFS. São Cristovão / SE, Brasil - E-mail: carol_bertges@hotmail.com
2Departamento de Ciências Florestais, Universidade Federal de Lavras - UFLA. Lavras / MG, Brasil.

Received 2017/02/06 - Accepted 2018/03/27

Resumo

A escassez de informações sobre as características das madeiras de mogno africano e de sua trabalhabilidade limitam sua utilização e introdução no mercado madeireiro. Os objetivos foram avaliar a qualidade da superfície usinada e comparar o consumo de energia específica de corte entre as espécies das madeiras de Khaya ivorensis e Khaya senegalensis com diferentes padrões de usinagem. Para avaliar a qualidade da superfície usinada, foi utilizada uma desempenadeira com rotações de 2400, 3600 e 4000 min-1 e velocidade de avanço de 6 e 15 m*min-1. A qualidade da superfície foi avaliada por meio do avanço por dente (fz), avaliação visual e rugosidade.  Cortes longitudinais e transversais foram realizados por serra circular com rotações de 2500, 3000 e 3500 min-1 para obtenção da energia de corte específica, por meio de um inversor de frequência. A espécie K. senegalensis apresentou consumo de energia de corte 10% superior a K. ivorensis, já no corte transversal houve maior consumo de 36% da K. senegalensis. Pela qualificação visual as melhores superfícies usinadas foram provenientes da velocidade de avanço de 6 m*min-1. A rugosidade não variou em função dos diferentes parâmetros de usinagem e nem entre as duas espécies.
Palavras-chave: Madeiras alternativas, energia específica de corte, processamento mecânico, qualificação, rugosímetro.

Abstract

The scarcity of information on the characteristics and workability of African mahogany wood limits its use and placement on the timber market. The objectives of this study were to assess the quality of the machined surface and compare the consumption of specific cutting energy between the wood species Khaya ivorensis and Khaya senegalensis, with different machining patterns. A trowel was used to assess the quality of the machined surface, with rotations of 2400, 3600 and 4000 min-1, and feeding rates of 6 and 15 m*min-1. Surface quality was evaluated by feeding per tooth (fz), visual assessment and roughness. Longitudinal and cross sections were made by a circular saw with rotations of 2500, 3000 and 3500 min-1, for the obtention of the specific cutting energy by a frequency inverter. The species K. senegalensis had a cutting energy consumption 10% higher than K. ivorensis and, in the cross section, there was a higher consumption (36%) by K. senegalensis. By the visual assessment, the best machined surfaces were obtained with a feeding rate of 6 m*min-1. Roughness did not range as a function of different machining parameters or between the two species.
Keywords: Alternative woods, specific cutting energy, mechanical processing, qualification, roughness drag.





Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais
Via Comendador Pedro Morganti, 3500 - Bairro Monte Alegre
CEP: 13415-000 - Piracicaba, SP - Brasil
Reprodução permitida desde que citada a fonte.