Scientia Forestalis, volume 43, n. 106
p.271-281, junho de 2015

Efeito de soluções salinas na estabilidade dimensional das madeiras de Corymbia torelliana e Eucalyptus cloeziana

Effect of salt solutions in dimensional stability of Corymbia torelliana and Eucalyptus cloeziana woods

Juarez Benigno Paes1
Pedro Lício Loiola2
José Tarcísio da Silva Oliveira1
Rafael Leite Braz3
Ricardo Jorge Klitzke4

1Professor Doutor do Departamento de Ciências Florestais e da Madeira.  UFES - Universidade Federal do Espírito Santo. Caixa Postal 16 - 29550-000 - Jerônimo Monteiro, ES. E-mail: jbp2@uol.com.br; jtsilva@npd.ufes.br.
2Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Florestal. UFPR -  Universidade Federal do Paraná. Av. Lothário Meissner, 631 – Jardim Botânico, Campus III – 80210-170 – Curitiba, PR. E-mail: pedrlicio@hotmail.com.
3Professor Doutor do Departamento de Ciência Florestal. UFRPE - Universidade Federal Rural de Pernambuco. Rua Dom Manoel de Medeiros, s/n - Dois Irmãos - 52171-900 - Recife - PE.
4Professor Doutor do Departamento de Engenharia e Tecnologia Florestal. UFPR -  Universidade Federal do Paraná. Av. Lothário Meissner, 631 – Jardim Botânico, Campus III – 80210-170 – Curitiba, PR. E-mail: rklitzke@ufpr.br.

Recebido em 12/03/2014 - Aceito para publicação em 15/03/2014

Resumo

O estudo teve por objetivo avaliar a influência de soluções salinas na estabilidade dimensional das madeiras de Corymbia torelliana e Eucalyptus cloeziana. Amostras de madeira de 2,0 x 3,0 x 5,0 cm (tangencial x radial x longitudinal) foram impregnadas com soluções a 5% de concentração de cloreto de sódio, cloreto de lítio, carbonato de sódio, sulfato de magnésio, sulfato de zinco e sulfato de cobre II, sob vácuo intermitente, e suas dimensões aferidas nos períodos de 24; 48; 72 e 96 horas de imersão, seguida da secagem em estufa nas temperaturas de 40, 60, 80 e 103 ± 2 °C, por intervalos de 24 horas e comparada com amostras controle imersas em água destilada mantidas nas mesmas condições. A impregnação das amostras de madeiras com a solução de cloreto de lítio promoveu a maior redução no inchamento e contração da madeira em relação às demais soluções salinas testadas, tendo a estabilidade no inchamento sido atingida após 48 a 72 horas de impregnação. As soluções de cloreto de lítio e de sulfato de cobre II proporcionaram à madeira de Corymbia torelliana os menores coeficientes anisotrópicos. Enquanto para o Eucalyptus cloeziana, os menores coeficientes foram obtidos com as soluções de sulfato de cobre II e cloreto de sódio.
Palavras-chave: madeira de eucalipto, soluções salinas, retratibilidade, coeficiente anisotrópico.

Abstract

The study aimed to evaluate the influence of salt solutions in the dimensional stability of Corymbia torelliana and Eucalyptus cloeziana wood. Wood test samples with 2.0 x 3.0 x 5.0 cm (tangential x radial x longitudinal) had been impregnated with 5% solutions of sodium chloride, lithium chloride, sodium carbonate, magnesium sulphate, zinc sulphate and copper II sulphate, under intermittent vacuum, and its dimensions measured in the intervals of 24; 48; 72 and 96 hours of immersion, followed by the drying in oven in the temperatures of 40, 60, 80 and 103 ± 2 °C, at intervals of 24 hours and compared with test samples immersed in distilled water and kept under the same conditions. The impregnation of wood samples with lithium chloride solution provided the biggest reduction in the swelling and shrinking of woods in relation to the other tested salt solutions, with stability in swelling reached after 48 to 72 hours of impregnation. Lithium chloride and copper II sulphate solutions provided to Corymbia torellianaEucalyptus cloeziana, the lower coefficients were obtained with copper II sulphate and sodium chloride solutions.
Keywords: Eucalypts woods, salt solutions, shrinkage, anisotropic coefficient.





Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais
Via Comendador Pedro Morganti, 3500 - Bairro Monte Alegre
CEP: 13415-000 - Piracicaba, SP - Brasil
Reprodução permitida desde que citada a fonte.