Scientia Forestalis, volume 41, n. 97
p.029-037, março de 2013

Estudo sobre a viabilidade do uso da madeira de “Cryptomeria japonica” para produção de painéis compensado

Study on the feasibility of using “Cryptomeria japonica” for plywood production

Juliana Afonso Pinto1
Setsuo Iwakiri2

1Mestre em engenharia florestal e gerente da qualidade. Kingfisher Sourcing Office South America – Av.Marechal Floriano Peixoto 306, sala 137, Curitiba – PR – 80010-130 – E-mail: ju_sebaio@yahoo.com.br.
2Professor doutor do Departamento de Engenharia e Tecnologia Florestal da UFPR – Av. Lothário Meissner, 632, Curitiba, PR – 80210-170 – E-mail: setsuo@ufpr.br.

Recebido em 10/06/2012 - Aceito para publicação em 09/11/2012

Resumo

A Cryptomeria japonica é uma espécie de bastante destaque no Japão e conhecida no mercado internacional. No Brasil há plantios experimentais na região sul e sudeste e a espécie tem apresentado grande potencial silvicultural, no entanto, há carências de estudos sobre a utilização industrial desta madeira. Dentro deste contexto, o presente estudo tem como objetivo analisar a viabilidade da utilização da Cryptomeria japonica em painéis de madeira compensada. Para a produção dos painéis foram selecionadas lâminas de cerne e de alburno, as quais foram coladas com resina fenol-formaldeído e uréia-formaldeído, com a variação da gramatura de 270 g/m² e 300 g/m². Painéis de espessura nominal de 10mm foram compostos de lâminas somente de alburno, somente de cerne e da composição de lâminas de alburno na capa e contracapa e cerne no miolo. Foram avaliadas as propriedades de flexão estática na direção paralela e perpendicular, cisalhamento da linha de cola e a densidade também. A densidade dos painéis foi inferior aos painéis de pinus e superior aos painéis de paricá. Os valores médios de flexão estática (MOE e MOR) atenderam aos requisitos da norma europeia. Os resultados dos ensaios de cisalhamento revelaram a necessidade de ajustes na formulação de batida de cola e no desenvolvimento do processo de produção, uma vez que os painéis de colagem uréica não atingiram os requisitos mínimos da norma EN 314-2 (1996), e os painéis de colagem fenólica cumpriram somente no tratamento a seco e no pré-tratamento 24 horas em água a temperatura ambiente. O estudo demonstrou potencial desta espécie para produção de painéis de madeira compensada, tendo em vista que, embora os painéis tenham baixa densidade a sua resistência à flexão estática foi satisfatória.
Palavras-chave: Cryptomeria japonica, painel compensado, ensaios físico-mecânicos.

Abstract

Cryptomeria japonica is an important species in Japan and well known to the international market. In Brazil there are plantations in the southern and southeastern region; however there are not many studies for its utilization with industrial purposes. This study was carried out to analyze the viability of using Cryptomeria japonica wood for plywood panels. For panels’ production, heartwood and sapwood veneers were used, which were glued with phenol formaldehyde and ureic formaldehyde resin, using 270 g/m² and 300 g/m² of glue. Panels with 10mm thickness were composed by veneers of sapwood only; heartwood only and the mix of sapwood on the face and back face and heartwood in the core. The evaluation of the physical-mechanic properties involved bending verification in the parallel and perpendicular direction, bonding quality and density. The density of the panels was lower when compared to pine panels and higher when compared to parica panels’ density. Mean bending values satisfied the EN standard. The bonding quality results show the need for adjustments in the glue mixture and improvements in the production process, since the ureic panels did not comply with EN314-2 (1996) requirements and the phenolic panels complied only in the dry treatment and in 24 hours cold water pre-treatment. The study confirmed the potential of this species in the plywood panel production; and even though panels presented low density, the bending results were satisfactory.
Keywords: Cryptomeria japonica, plywood, physical-mechanical test.





Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais
Via Comendador Pedro Morganti, 3500 - Bairro Monte Alegre
CEP: 13415-000 - Piracicaba, SP - Brasil
Reprodução permitida desde que citada a fonte.