Scientia Forestalis, volume 43, n. 106
p.291-301, junho de 2015

Equações volumétricas para espécies comerciais madeireiras do sul do estado de Roraima

Volume equations for merchantable timber species of Southern Roraima state

Bruno Oliva Gimenez1
Filipe Eduardo Danielli1
Criscian Kellen Amaro de Oliveira1
Joaquim dos Santos2
Niro Higuchi2

1Mestre em Ciências de Florestas Tropicais. INPA - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia. Av. André Araújo 2936, Aleixo, 69060-001, Manaus, AM. E-mail: bruno.oliva.gimenez@gmail.com, fklauberg@hotmail.com, crisciankellen@gmail.com.
2Pesquisador Doutor. INPA - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia. Av. André Araújo 2936, Aleixo, 69060-001, Manaus, AM. E-mail: joca@inpa.gov.br, niro@inpa.gov.br.

Recebido em 25/02/2014 - Aceito para publicação em 17/12/2014

Resumo

Diversos modelos de volume foram ajustados sendo quatro de simples entrada com a variável independente DAP e quatro de dupla entrada com as variáveis independentes DAP e altura comercial (Hc). Dentre esses, o melhor modelo foi comparado com o modelo do fator de forma médio 0,7. Adicionalmente foram testados oito modelos com a substituição do DAP pelo diâmetro do toco (Dtoco). Para isto, foram cubadas 54 árvores-amostra com DAP > 30 cm em uma área de desmatamento autorizado localizado no município de Rorainópolis, sul do estado de Roraima. O modelo que melhor se ajustou para uso na região foi o de Husch (V = 0,000503 * DAP^2,157162) devido aos seus indicadores robustos (R²ajust = 0,899 e Syx = 1,38 m³) e por não possuir Hc como variável independente. Para a estimativa do volume a partir da variável independente Dtoco o modelo indicado foi o de simples entrada de Husch (V = 0,002603 * Dtoco^1,761132) (R²ajust. = 0,789 e Syx = 1,93 m³). Entretanto, em áreas que possuam tocos juntamente com as árvores abatidas, o modelo de Schumacher e Hall (V = 0,000263 * Dtoco^1,782244 * Hc^0,765729 ) também pode ser utilizado devido suas estatísticas consistentes (R²ajust. = 0,872 e Syx = 1,51 m³). O modelo que utiliza o fator de forma médio não se mostrou preciso para estimar o volume na região, uma vez que nos inventários florestais a variável Hc presente no modelo é superestimada de forma induzida, o que aumenta o erro do tipo não amostral.
Palavras-chave: Amazônia, Inventário Florestal, Manejo Florestal.

Abstract

Eight volume models were tested to fit observed data from merchantable tree species of Southern Roraima; four simple entry models with DBH as independent variable and four double entry models with DBH and merchantable height (Hc) as independent variables. Among those, the best model was compared with the one which uses form factor equal to 0.7. Additionally, the same models were tested with diameter at stump height (Dtoco) instead of DBH in order to develop an equation to estimate the volume removed by logging.  To carry out this study, 54 sample trees with DBH > 30 cm were taken from a clear cut area for agriculture projects in Rorainópolis, Southern Roraima. The model that best fit the observed data was V = 0.000503 * DBH^2.157162 (R ² adj = 0.899 and Syx = 1.38 m³), because it does not have Hc as independent variable. To estimate the volume from the independent variable Dtoco the model that presented the best results was V = 0.002603 * Dtoco^1.761132 (R ² adj. = 0.789 and Syx = 1.93 m³). In the clear cut area, merchantable height could be measured precisely; in this case, double entry model could be very convenient as well, such as V = 0.000263 * Dtoco ^1.782244 * Hc ^ 0.765729 (R ² adj. = 0.872 and Syx = 1.51 m³). Models with a universal form factor (0.7, for example) are not reliable mainly because Hc is not obtained precisely during the field data collection for forest inventory.
Keywords: Amazon, Forest Inventory, Forest Management.





Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais
Via Comendador Pedro Morganti, 3500 - Bairro Monte Alegre
CEP: 13415-000 - Piracicaba, SP - Brasil
Reprodução permitida desde que citada a fonte.