Scientia Forestalis, volume 46, n. 118
p.189-198, junho de 2018
DOI: dx.doi.org/10.18671/scifor.v46n118.05

Densidade ótima e aceitável de estradas na colheita de pinus no sistema de toras curtas e árvores inteiras

Optimum and acceptable forest road density in pine harvesting for cut-to-length and full tree systems

Franciny Lieny Souza1
Jean Alberto Sampietro2
Helen Michels Dacoregio1
Philipe Ricardo Casemiro Soares2
Eduardo da Silva Lopes3
Dagoberto Stein Quadros4

1Mestre em Engenharia Florestal. UDESC - Universidade do Estado de Santa Catarina / Centro Agroveterinário. Avenida Luiz de Camões - Conta Dinheiro - 88520000 - Lages, SC, Brasil. E-mail: francinylieny@hotmail.com, helenmdacoregio@gmail.com.
2Professor Adjunto do Departamento de Engenharia Florestal. UDESC - Universidade do Estado de Santa Catarina / Centro Agroveterinário. Avenida Luiz de Camões - Conta Dinheiro - 88520000 - Lages, SC, Brasil. E-mail: engsampietro@gmail.com, prcsoares@gmail.com.
3Professor Associado do Departamento de Engenharia Florestal. UNICENTRO - Universidade Estadual do Centro-Oeste / Centro de Ciências Agrárias e Ambientais. PR 153, KM 7 - Cx. Postal 21 - 84500000 - Irati, PR, Brasil - Caixa-postal: 21. E-mail: eslopes@irati.unicentro.br
4Professor Titular do Departamento de Engenharia Florestal. FURB - Fundação Universidade Regional de Blumenau / Centro de Ciências Tecnológicas. Rua São Paulo – 3250 - 89030000 - Blumenau, SC, Brasil. E-mail: engdagobert@gmail.com.

Recebido em 06/02/2017 - Aceito em 31/10/2017

Resumo

O objetivo deste trabalho foi determinar o ponto economicamente ótimo e aceitável de densidade de estradas para povoamentos de Pinus taeda L. submetidos ao corte raso em diferentes sistemas de colheita da madeira. O estudo foi realizado em uma empresa na região do Planalto Serrano de Santa Catarina, em povoamentos aos 33 anos de idade submetidos ao corte raso no sistema de colheita de toras curtas (CTL) e árvores inteiras (FT). No sistema CTL, as operações de extração foram realizadas utilizando forwarder, enquanto no FT foi utilizado o skidder. A densidade ótima de estradas (DOE) foi calculada pelo método indireto, sendo determinados os custos de extração da madeira para ambos os sistemas, os custos de reconstrução e manutenção de estradas e de perda de área produtiva. A densidade aceitável (DAE) foi determinada como sendo uma variação de 2% acima do custo total mínimo, conforme Malinovski (2013). Para ambos os sistemas de colheita da madeira, a densidade atual de estradas (92,02 m/ha) foi superior à DOE e DAE, que foi de 15,63 e 24,75 m/ha, no CTL e de 22,85 e 27,00 m/ha no FT, respectivamente. Tanto na DOE e DAE, os custos com extração foram maiores no sistema CTL, embora os custos com reconstrução e manutenção de estradas e perda de área produtiva foram menores que o sistema FT. A consideração da DOE no planejamento das operações florestais possibilitará a redução do custo total em 33% no sistema CTL e de 54% no sistema FT, possibilitando a otimização dos recursos e maximização das receitas.
Palavras-chave: Colheita florestal; planejamento de estradas; otimização, custos.

Abstract

The objective of this work was to determine the optimal and acceptable economically point of road density for Pinus taeda L. stands in clear cut operations in different harvesting systems. The study was conducted in a forest company in the Mountain Plateau regions of Santa Catarina State, in areas with 33 years old stands which were submitted to clear cut in cut-to-length (CTL) and full tree (FT) harvesting systems. In the CTL systems, the extraction operation was performed using forwarder, whereas in FT system skidder was used. The optimal road density (DOE) was calculated by the indirect method, where the costs of wood extraction for both systems were determined, as well as for roads reconstruction, roads maintenance and productive area loss. The acceptable road density (DAE) was determined, being 2% above the minimum total cost, according to Malinovski (2013). For both systems, the current road density (92.02 m/ha) was higher than the DOE and DAE, which was 15.63 and 24.75 m/ha, respectively, for the CTL system and 22.85 and 27.00 m/ha, respectively, for the FT system. Both in the DOE and DAE the extraction costs were higher in the CTL system, although the costs with roads reconstruction and maintenance and productive area loss were lower than the FT system. Thus, with the use of the DOE, it will be possible to reduce the total cost by 33% in the CTL system and by 54% in the FT system. Therefore, it is recommended to use DOE or DAE to re-plan operations, aiming at resources optimizing and maximizing revenues.
Keywords: forest harvesting; forest roads; extraction operations; optimal forest roads.





Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais
Via Comendador Pedro Morganti, 3500 - Bairro Monte Alegre
CEP: 13415-000 - Piracicaba, SP - Brasil
Reprodução permitida desde que citada a fonte.