Scientia Forestalis, volume 46, n. 119
p.377-386, setembro de 2018
DOI: dx.doi.org/10.18671/scifor.v46n119.05

Incremento, recrutamento e mortalidade pós-colheita de Duguetia spp. na Floresta Nacional do Tapajós, Pará

Post-harvesting increment, recruitment and mortality of Duguetia spp. in the Tapajos National Forest, Pará

Luiz Fernandes Silva Dionisio1
João Olegário Pereira de Carvalho2
Gustavo Schwartz3
Fábio Miranda Leão4
Tatiana Cunha Castro1

1Doutorando(a) doPrograma de Pós-graduação em Ciências Florestais. UFRA - Universidade Federal Rural da Amazônia. Avenida Perimetral - Terra Firme - 66077830 - Belém, PA, Brasil. E-mail: fernandesluiz03@gmail.com; ccastro.tatiana@gmail.com.
2Professor Doutor do Departamento de Ciências Florestais. UFRA - Universidade Federal Rural da Amazônia. Avenida Perimetral - Terra Firme - 66077830 - Belém, PA, Brasil. E-mail: olegario@pq.cnpq.br.
3Pesquisador Doutor. Embrapa Amazônia Oriental – Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Caixa Postal 48 – 66095105 – Belém, PA, Brasil. E-mail: gustavo.schwartz@embrapa.br.
4Professor Mestre. UFPA - Universidade Federal do Pará. Rua Coronel José Porfírio 2515 - 68372-040 - Altamira, Pará, Brasil. E-mail: fabioleao@ufpa.br

Recebido em 17/04/2017 - Aceito em 09/01/2018

Resumo

Conhecer o crescimento das espécies de um povoamento florestal, principalmente daquelas de interesse econômico, é de fundamental importância para o manejo florestal sustentável. Nesse sentido, avaliou-se o processo dinâmico de incremento, recrutamento e mortalidade da população de Duguetia spp. (envira-surucucu), no período de 1983-2012, em uma área de 180 hectares, sob a responsabilidade da Embrapa Amazônia Oriental, localizada na Floresta Nacional do Tapajós. Os dados foram coletados em 48 parcelas permanentes de 0,25 ha (50 m x 50 m), divididas em 25 subparcelas de 10 m x 10 m, onde foram medidas e identificadas todas as árvores com DAP (diâmetro a 1,30 do nível do solo) ≥ 5 cm. Recrutamento foi considerado como sendo o número de árvores que atingiram 5 cm de diâmetro em duas medições consecutivas, e mortalidade o número de árvores com DAP ≥ 5 cm encontradas mortas entre duas medições consecutivas. A exploração de impacto reduzido não afetou a estrutura da população de Duguetia spp.  Trinta anos após a exploração, a espécie continuou apresentando distribuição diamétrica do tipo J-reverso e mostrou equilíbrio entre as taxas de recrutamento e mortalidade, além de semelhança no incremento diamétrico entre as áreas exploradas e não explorada. A exploração beneficiou o crescimento dos indivíduos de Duguetia spp., que teve maior incremento na classe de diâmetro DAP ≥ 25 cm.
Palavras-chave: Crescimento de árvores; dinâmica da floresta; exploração de impacto reduzido; forma de J-reverso.

Abstract

Knowledge on growth rates of tree species in a forest, especially those commercial species, is fundamental for forest management. Thus, we evaluated the dynamics of mortality, recruitment and growth of a Duguetia spp. (envira-surucucu) population during the 1983-2012 period in a 180 ha area in the Tapajós National Forest. Data were obtained from 48 0.25 ha (50 m x 50 m) permanent sample plots, divided into 25 subplots of 10 m x 10 m, where all trees with DBH (diameter at 1.30m above ground) ≥ 5 cm were identified and measured. Mortality was the number of trees with DBH > 5cm found dead between two consecutive measurements and recruitment was the number of trees reaching 5 cm in diameter in two consecutive measurements. Reduced impact logging did not modifify the Duguetia spp. population structure. Thirty years after logging, Duguetia spp. continue presenting a reverse J-shape diameter distribution and maintaining equilibrium between mortality and recruitment rates. Duguetia spp. also shows a similarity on diameter increment between the logged and unlogged areas. The experiment benefited the growth of Duguetia spp. individuals, which had the greatest increase in DBH diameter class ≥ 25 cm.
Keywords: diameter increment; forest dynamics; reduced impact logging, reverse J-shape.





Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais
Via Comendador Pedro Morganti, 3500 - Bairro Monte Alegre
CEP: 13415-000 - Piracicaba, SP - Brasil
Reprodução permitida desde que citada a fonte.