Scientia Forestalis, volume 46, n. 118
p.209-216, junho de 2018
DOI: dx.doi.org/10.18671/scifor.v46n118.07

Análise histológica de plantas de eucalipto resistentes e suscetíveis inoculadas com Ceratocystis fimbriata

Histological analysis of resistant and susceptible eucalyptus plants inoculated with Ceratocystis fimbriata

Ana Carolina Firmino1
Hugo José Tozze Junior1
Camila Maciel Viana2
Everton Pires Soliman3
Izabel Christina Gava de Souza3
Magali Ribeiro da Silva4
Larissa Escalfi Tristão2
Edson Luiz Furtado4

1Doutora em Proteção de Plantas. Unesp – Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” / Faculdade de Ciências Agrárias e Tecnológicas. Rodovia Comandante João Ribeiro de Barros, Km 651 - 17900000 - Dracena, SP, Brasil. E-mail: anacarfir@gmail.com; htozze@gmail.com.
2Graduanda em Engenharia Florestal. Unesp – Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” / Faculdade de Ciências Agrárias de Botucatu. Rua Doutor José Barbosa de Barros - 18610307 - Botucatu, SP, Brasil. E-mail: cramila@hotmail.com; larissaescalfi@hotmail.com.
3Pesquisador Doutor. Suzano Papel e Celulose. Unidade de Itapetininga, Av. Dr. José Lembo, 1010 - 18207-78 -Itapetininga, SP - Brasil. E-mail: epsoliman@suzano.com.br;  izabelsouza@suzano.com.br.
4Professora Doutora no Departamento de Ciências Florestais. Unesp – Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” / Faculdade de Ciências Agrárias de Botucatu. Rua Doutor José Barbosa de Barros - 18610307 - Botucatu, SP, Brasil. E-mail: magaliribeiro@fca.unesp.br.

Recebido em 31/03/2017 - Aceito em 13/11/2017

Resumo

O gênero Ceratocystis contempla diversas espécies distribuídas em vários lugares do mundo. Uma planta infectada com este fungo apresenta como sintomas primários o escurecimento do sistema vascular e como sintomas secundários murcha, seca e morte da planta, decorrentes do colapso do xilema, causando pelo fungo. Estes sintomas são típicos de estresse hídrico e ocorre em plantas doentes como resultado do desenvolvimento do patógeno no interior de seus vasos e também por mecanismos de defesa da planta que bloqueiam vasos do xilema. O presente trabalho teve como objetivo realizar as análises das reações estruturais e bioquímicas que possam estar ligadas a resistência de plantas de eucalipto a Ceratocystis. Para observação das reações estruturais e bioquímicas das plantas de eucalipto à colonização do fungo, plantas de eucalipto de Eucalyptus grandis (Clone C3 resistente ao fungo e Clone C10 suscetível ao fungo) foram inoculadas com um isolado de C. fimbriata. Após a inoculação, fragmentos dos caules das plantas inoculadas foram coletados (7 e 21 dias após inoculação), fixados em “Karnovsky” e processadas para polimerização em historesina. Foram usadas diferentes técnicas para visualização de gomas e géis, grãos de amido, arginina, ligninas e tiloses. As tiloses, os géis e gomas foram observados em todas as plantas inoculadas com Ceratocystis. O acumulo de lignina foi observado somente em plantas resistentes. O amido e a arginina foram observados em todas as plantas trabalhadas. Estes resultados sugerem que a resistência de eucalipto ao fungo Ceratocystis pode estar ligada a capacidade de acumulo de ligninas nas células, já que esta estrutura somente foi visualizada em plantas resistentes inoculadas com o fungo.
Palavras-chave: doença vascular, murcha-do-eucalipto, patologia florestal, resistência.

Abstract

The genus Ceratocystis includes several species distributed throughout the world. A plant infected with this fungus presents as primary symptoms the darkening of the vascular system and as secondary symptoms wilt, dryness and death of the plant, due to the collapse of the xylem caused by the fungus. These symptoms are typical of water stress and occur in diseased plants as the result of the development of the pathogen inside their vessels and also by plant defense mechanisms that blocks xylem vessels. The present work had the objective of analyzing the structural and biochemical reactions that could be related to eucalyptus plants resistance to Ceratocystis. To observe the structural and biochemical reactions of eucalyptus plants colonized by the fungus, eucalyptus plants of E. grandis (Clone C3 resistant to fungus and Clone C10 susceptible to fungus) were inoculated with a C. fimbriata isolate. After inoculation, inoculated stems fragments were collected (7 and 21 days after inoculation), fixed in Karnovsky and processed by historesin polymerization. Different techniques were used to visualize gums and gels, starch grains, arginine, lignins and tyloses. Tyloses, gels and gums were observed in all plants inoculated with Ceratocystis. Lignin accumulation was observed only in resistant plants. Starch and arginine were observed in all worked plants. These results suggest that the eucalyptus resistance to the Ceratocystis fungus may be linked to the accumulation capacity of liguinins in the cells, since this structure was only visualized in resistant plants inoculated with the fungus.
Keywords: Vascular disease, eucalyptus wilt, forest pathology, resistance.





Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais
Via Comendador Pedro Morganti, 3500 - Bairro Monte Alegre
CEP: 13415-000 - Piracicaba, SP - Brasil
Reprodução permitida desde que citada a fonte.