Scientia Forestalis, volume 43, n. 106
p.321-332, junho de 2015

Estrutura e estratégias de dispersão do componente arbóreo de uma floresta subtropical ao longo de uma topossequência no Alto-Uruguai

Tree component structure and dispersion strategies in a subtropical forest along a topographic sequence in Alto- Uruguai

Karine Souza1
Chayane Cristina de Souza1
Márcio Gonçalves da Rosa2
Aline Pereira Cruz1
Carla Luciane Lima3
Jéssica Oneda da Silva1
Luciane Cristina Lazzarin1
Rodineli Loebens1
Romell Alves Ribeiro Dias1
Ana Carolina da Silva4
Pedro Higuchi4
Marcos Benedito Schimalski4

1Mestrando em Engenharia Florestal. UDESC - Universidade do Estado de Santa Catarina. Av. Luiz de Camões, 2090, 88520-000, Lages, SC. E-mail: karisouza@hotmail.com, chayanesouza8@gmail.com, a.line_cruz@yahoo.com.br, jessica.oneda@hotmail.com, engeflora.piratuba@hotmail.com, rhodineli@hotmail.com, romell_ribeiro@yahoo.com.br.
2Doutorando em Ciência do Solo. UDESC - Universidade do Estado de Santa Catarina. Av. Luiz de Camões, 2090, 88520-000, Lages, SC. E-mail: tyler001@gmail.com.
3Engenheira Floresta. UDESC - Universidade do Estado de Santa Catarina. Av. Luiz de Camões, 2090, 88520-000, Lages, SC. E-mail: carla_engflorestal@yahoo.com.br.
4Professor(a) Doutor do Departamento de Engenharia Florestal. UDESC - Universidade do Estado de Santa Catarina. Av. Luiz de Camões, 2090, 88520-000, Lages, SC. E-mail: carol_sil4@yahoo.com.br, higuchip@gmail.com.

Recebido em 25/03/2014 - Aceito para publicação em 18/12/2014

Resumo

Objetivou-se analisar a composição florístico-estrutural e as estratégias de dispersão do componente arbóreo ao longo de uma topossequência em uma floresta subtropical na região do Alto-Uruguai. Para isso, em um fragmento florestal foram alocadas 50 parcelas, de 200 m² cada, em três setores, definidos a partir da distância do reservatório de água e variações de declividade: setor inferior, próximo ao reservatório com declividade média de 14,38º (±2,64), setor intermediário, na encosta com declividade média de 19,74º (±1,98), e setor superior, no topo da encosta com declividade média de 20,66º (±1,24). Aferiu-se o CAP (circunferência à altura do peito) e identificaram-se todos os indivíduos com CAP ≥ 15,7 cm nas parcelas. Os indivíduos amostrados foram classificados de acordo com sua estratégia de dispersão. Os dados foram analisados por meio dos índices de Shannon (H’) e de Pielou, NMDS (Escalonamento Multidimensional Não-métrico), PERMANOVA (ANOVA multivariada permutacional) Análise de Espécies Indicadoras e tabela de contingência. Foram amostrados 1.562 indivíduos, pertencentes a 69 espécies, sendo que o setor inferior apresentou menor diversidade e maior dominância. A ordenação dos dados demonstrou diferenças florístico-estruturais entre os setores, confirmada pela PERMANOVA (p<0,001). Quatro espécies foram indicadoras do setor inferior, uma do intermediário e cinco do superior. Apesar da zoocoria ter prevalecido nos setores, a distribuição dos indivíduos das espécies com diferentes estratégias de dispersão não ocorreu de forma uniforme entre os setores. Conclui-se que a topografia representou uma importante fonte de variação do componente arbóreo, influenciando na distribuição das espécies, no padrão de diversidade e na representatividade das estratégias de dispersão.
Palavras-chave: ecótono, NMDS, estratégias ecológicas.

Abstract

This study aimed to analyze the floristic-structural composition and dispersion strategies of the arboreal component along a topographic sequence in a subtropical forest in Alto-Uruguay region. For this, a total of 50 200 m² plots were allocated into three sectors within a forest fragment, defined according to the distance from a dam reservoir and slope: lower sector, next to the reservoir and average slope of 14.38° (±2.64), intermediate sector, with an average slope of 19.74° (±1.98), and upper sector, near to the ridge, with average slope of 20.66° (±1.24). All sampled tree species individuals with circumference at breast height (CAP) ≥ 15.7 cm were measured (CAP) and identified. All species were classified according to their dispersion syndrome. The data were analyzed through the Shannon (H’) and Pielou indexes, NMDS (Nonmetric Multidimensional Scaling), PERMANOVA (Permutational multivariate ANOVA), Indicator Species Analysis and contingency table. A total of 1,562 individuals, belonging to 69 species were sampled, with lower sector presenting the lowest diversity and the highest dominance The ordination of data showed floristic-structural differences among sectors, confirmed by PERMANOVA test (p < 0.001). Four species were indicative of the lower sector, one of the intermediate and five of the upper sector. Despite zoochory prevailing among sectors, the individuals of species with different dispersal syndromes were not evenly distributed across sectors. We conclude that the topography represented an important source of tree component variation, influencing species distribution, and diversity pattern and dispersal syndrome representativeness.
Keywords: ecotone, NMDS, ecological strategies.





Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais
Via Comendador Pedro Morganti, 3500 - Bairro Monte Alegre
CEP: 13415-000 - Piracicaba, SP - Brasil
Reprodução permitida desde que citada a fonte.