Scientia Forestalis, volume 41, n. 97
p.095-101, março de 2013

Evaluation of longitudinal residual strain of Eucalyptus saligna Smith. wood

Avaliação das deformações residuais longitudinais da madeira de Eucalyptus saligna Smith.

Rafael Beltrame1
Bruno Dufau Mattos2
Clovis Roberto Haselein3
Elio Jose Santini3
Darci Alberto Gatto1
Pedro Henrique Gonzalez de Cademartori4
Cristiane Pedrazzi1

1Forest Engineer, PhD, Adjunct Professor of Wood Industrial Engineering, Engineering Center. UFPEL - Federal University of Pelotas, 793 Conde de Porto Alegre Street, Postal Code 96010-290, Pelotas (RS). E-mail: darcigatto@yahoo.com; beltrame.rafael@yahoo.com.br; cpedrazzi@terra.com.br.
2Wood Industrial Engineer, Master student in Materials Science and Engineering. UFPEL - Federal University of Pelotas, 809 Félix da Cunha Street, Postal Code 96010-000, Pelotas (RS). E-mail: brunodufaumattos@yahoo.com.br; pedrocademartori@gmail.com
3Forest Engineer, PhD, Adjunct Professor of Forest Sciences Department (CCR). UFSM - Federal University of Santa Maria, 1000 Roraima Avenue, Box 5096, Postal Code 97105-900, Santa Maria (RS). E-mail: clovis.haselein@smail.ufsm.br, eliosantini@smail.ufsm.br.
4Wood Industrial Engineer, MSc, PhD student in Forest Engineering. UFPR - Federal University of Paraná, 900 Lothário Meissner Avenue, Postal Code 80210-170, Curitiba (PR). E-mail: pedrocademartori@gmail.com

Recebido em 19/04/2012 - Aceito para publicação em 18/12/2012

Resumo

The present study was done in order to determine the longitudinal residual strain (LRS) from growth stresses in Eucalyptus saligna trees. To achieve this, 120 trees (nine years old) of 12 plots from an experimental population were randomly selected based on their phytosanitary conditions. The basic density, bark thickness, diameter at breast height, volume and total height were measured. The measurings of LRS were performed through a strain gauge (Growth Strain Gauge) by the CIRAD-Fôret non-destructive method in four positions around the stem of tree. The results showed that LRS values were higher than values found in other studies for Eucalyptus species. Growth parameters showed significant and positive correlations between themselves but most of these parameters did not correlate to LRS. However, LRS measured in four positions around the stem of the trees showed statistical differences between them. On the one hand, LRS measurements of plots 3 and 7 showed satisfactory results, better distribution around the stem and, consequently, the smallest strains. On the other hand, plots 1 and 6 showed high values of strains and, consequently, a high variation between the positions.
Palavras-chave: Eucalyptus saligna; growth stress; non-destructive evaluation; wood properties; wood quality.

Abstract

O presente estudo foi desenvolvido com o objetivo de determinar as deformações residuais longitudinais, decorrentes das tensões de crescimento em árvores de Eucalyptus saligna. Para tanto, foram selecionadas 120 árvores em 12 parcelas de um povoamento experimental com nove anos de idade, por meio de suas condições fitossanitárias. Foram mensuradas as variáveis de densidade básica, espessura de casca, diâmetro a altura do peito e altura total. As leituras das DRLs foram realizadas pelo método não destrutivo CIRAD-Fôret, com o auxílio do extensômetro (Growth Strain Gauge). Estas leituras foram realizadas em quatro posições ao redor do tronco da árvore. De acordo com os resultados obtidos, pôde-se verificar que a DRL média para a espécie estudada, apresentou valores superiores quando comparada com outras espécies de eucalipto reportadas na literatura. As variáveis de crescimento apresentaram correlações significativas e positivas entre si, todavia, a maioria destas variáveis não se correlacionou com as DRLs. Já as quatro posições de leituras realizadas ao redor do tronco das árvores apresentaram diferenças estatísticas entre si. Os níveis de variações das DRLs, das parcelas amostradas 3 e 7, apresentaram resultados satisfatórios com melhores distribuições em torno do tronco, proporcionando as menores deformações. Por outro lado, as parcelas 1 e 6 apresentaram maiores valores desta deformação e, com isso, uma maior variação entre as posições de leituras.
Keywords: Eucalyptus saligna; tensões de crescimento; avaliações não destrutivas; propriedades da madeira; qualidade da madeira.





Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais
Via Comendador Pedro Morganti, 3500 - Bairro Monte Alegre
CEP: 13415-000 - Piracicaba, SP - Brasil
Reprodução permitida desde que citada a fonte.