Scientia Forestalis, volume 41, n. 98
p.249-256, junho de 2013

Distribuição espacial de indivíduos adultos de pequi

Spatial distribution of Pequi adult individuals

Josiane Silva Bruzinga1
Marcio Leles Romarco de Oliveira2
Evandro Luiz Mendonça Machado2
Helio Garcia Leite3
Israel Marinho Pereira2
Gilciano Saraiva Nogueira2

1Mestre em Ciência Florestal. UFVJM - Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri. Departamento de Engenharia Florestal. Campus JK, Rodovia MGT 367 - Km 583, nº 5000 - Alto da Jacuba, Diamantina/MG. E-mail: bruzinganet@yahoo.com.br.
2Doutor em Ciência Florestal. UFVJM - Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri. Departamento de Engenharia Florestal. Campus JK, Rodovia MGT 367 - Km 583, nº 5000 - Alto da Jacuba, Diamantina/MG. E-mail: marcioromarco@gmail.com; machadoelm@gmail.com; imarinho@gmail.com; nogueirags@yahoo.com.br.
3Doutor em Ciência Florestal. UFV - Universidade Federal de Viçosa (UFV) - Departamento de Engenharia Florestal. Avenida Peter Henry Rolfs, s/n Campus Universitário, CEP 36570-000, Viçosa/MG. E-mail: hgleite@ufv.br.

Recebido em 21/08/2012 - Aceito para publicação em 25/04/2013

Resumo

O objetivo desse trabalho foi verificar a distribuição espacial de indivíduos adultos de Caryocar brasiliensis Camb. (Pequi), bem como a distribuição em classes de potencial produtivo de frutos, e assim subsidiar na definição de métodos de amostragem para a espécie. Para tal, realizou-se o censo da população adulta de pequi (diâmetro ≥ 5 cm , a 0,30 cm de altura) em uma área de cerrado de 36,5 ha no Parque Estadual do Rio Preto/MG. A população foi dividida em 4 classes de produtividade e a distribuição espacial avaliada para cada classe e para o total, por meio da função K de Ripley univariada. A significância dos desvios da distribuição foi determinada a partir da construção de um “envelope” de completa independência espacial, calculado por meio de 999 simulações. Foi concluído que: (i) populações de indivíduos adultos de pequi em áreas de cerrado, bem como em classes de tamanho de até 30 cm, ocorrem de forma agregada e (ii) indivíduos acima de 30 cm de DAS apresentam padrão agregado somente em escalas maiores de observação. Ou seja, esquemas de amostragem com distribuição aleatória ou sistemática de unidades amostrais, provavelmente não seriam precisos na quantificação da espécie, devido à probabilidade destas serem locadas entre os agregados.
Palavras-chave: Amostragem. Produtos florestais não-madeireiros. Cerrado. K de Ripley.

Abstract

The aim of this study was to determine the spatial distribution of adult individuals of Caryocar brasiliensis Camb. (Pequi) and the distribution of potential classes of fruit production, and thus help define the sampling method for this species. To this end a census of the adult population of pequi (diameter at 0.30 cm and height ≥ 5 cm) in a cerrado area of 36.5 ha in the Rio Preto State Park / MG was carried out. The population was divided into four classes of productivity and the spatial distribution was evaluated for each class and for the total, through Ripley’s univariate K function. The significance of the deviations of the distribution was determined through the construction of an “envelope” of complete spatial independence, calculated by means of 999 simulations. The results show that: (i) populations of adult pequis in the cerrado area, as well as class size up to 30 cm, occur in the aggregate pattern and (ii) individuals above 30 cm DAS pattern aggregate only in larger scales of observation. That means that sampling designs with randomized or systematic sampling units would probably not be accurate for the quantification of the species, because the probability of these are located between clusters.
Keywords: Sampling. Non-timber forest products. Cerrado. Ripley’s K.





Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais
Via Comendador Pedro Morganti, 3500 - Bairro Monte Alegre
CEP: 13415-000 - Piracicaba, SP - Brasil
Reprodução permitida desde que citada a fonte.