Scientia Forestalis, volume 43, n. 107
p.601-608, setembro de 2015

Propostas de mapeamentos da capacidade produtiva de sítios florestais por meio de análises geoestatísticas

Proposals to mapping of forest site productivity by geo-statistical analyzes

Allan Libanio Pelissari1
Sidney Fernando Caldeira2
Afonso Figueiredo Filho3
Sebastião do Amaral Machado4

1Bolsista CNPq - Brasil. Doutor em Engenharia Florestal. UFPR - Universidade Federal do Paraná. Av. Pref. Lothário Meissner, 900 Jardim Botânico - 80210170 - Curitiba, PR. E-mail: allanpelissari@gmail.com.
2Professor Associado do Departamento de Engenharia Florestal. UFMT -  Universidade Federal de Mato Grosso. Av. Fernando Correa da Costa s/n Coxipó 78068-000 - Cuiaba, MT. E-mail: sidneycal@gmail.com.
3Professor Sênior do Departamento de Engenharia Florestal. UNICENTRO - Universidade Estadual do Centro-Oeste - Centro de Ciências Agrárias e Ambientais. PR-153 - KM 7 – Riozinho - 84500-000 - Irati, PR. E-mail: afigfilho@gmail.com.
4Professor Sênior do Departamento de Ciências Florestais. UFPR - Universidade Federal do Paraná. Rua Lothário Meissner, 632 - Jardim Botânico 80210-170 - Curitiba, PR. E-mail: profsamachado@gmail.com.

Recebido em 09/07/2014 - Aceito para publicação em 03/03/2015

Resumo

O trabalho objetivou aplicar análises geoestatísticas para modelar e mapear a variabilidade espacial da capacidade produtividade de sítios florestais. A partir de parcelas permanentes alocadas em plantios de teca, foram determinadas as curvas de sítios de produtividades alta, média e baixa, tendo o décimo segundo ano com a idade de referência. Nesse período, a krigagem ordinária foi utilizada para modelar os padrões espaciais da altura dominante, considerando as classes de sítio nos mapas temáticos. Adicionalmente, com a krigagem indicatriz foram determinadas as probabilidades de ocorrência de sítios mais produtivos, por meio da transformação binária da altura dominante, com o sítio de qualidade média como valor de corte. Nos semivariogramas ajustados foi verificada a dispersão branda das observações em torno das estimativas, com o início crescente das semivariâncias em função da distância e a posterior estabilização. Além disso, a característica isotrópica foi corroborada pela semelhança estrutural dos semivariogramas direcionais. Por meio da krigagem ordinária, os limites espaciais das classes de sítio foram identificados e mapeados, ao passo que com a krigagem indicatriz foram delimitados os locais com a probabilidade maior de obter sítios mais produtivos.
Palavras-chave: Classes de produtividade; Variabilidade espacial; Krigagem indicatriz.

Abstract

The study aimed to apply geo-statistical analyses to model and to map the spatial variability of forests sites productivity. Through permanent plots allocated in teak stands, sites curves of high, medium and low yields were obtained, with the twelfth year as reference age. In this period, ordinary kriging was used to model the spatial patterns of the dominant height, considering the site classes in thematic maps. Additionally, through the indicator kriging highest sites probability was determined, with the binary transformation of dominant height, being the site of average quality cutoff value. In the adjusted semi-variogram a bland dispersion of observations around the estimates was verified, beginning with the increase of the semi-variance versus distance and the subsequent stabilization. In addition, the isotropic characteristic was confirmed by the structural similarity of the directional semi-variograms. Through ordinary kriging, the spatial limits of the site classes were identified and mapped, while, with the indicator kriging, locals were delimited, which had the highest probability of being highly productive sites.
Keywords: Productivity classes; Spatial variability; Indicator kriging.





Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais
Via Comendador Pedro Morganti, 3500 - Bairro Monte Alegre
CEP: 13415-000 - Piracicaba, SP - Brasil
Reprodução permitida desde que citada a fonte.