Scientia Forestalis, volume 42, n. 101
p.141-154, março de 2014

Volumetria e classificação da capacidade produtiva para Mora paraensis (Ducke) no estuário amapaense

Volumetry and classification of production capacity for Mora paraensis (Ducke) in  Amapa estuary

Robson Borges de Lima1
Perseu da Silva Aparício2
Rinaldo Luiz Caraciolo Ferreira3
Wegliane Campelo da Silva4
Marcelino Carneiro Guedes5
Cinthia Pereira de Oliveira6
Diego Armando Silva da Silva7
Anderson Pedro Bernardina Batista8

1Doutorando do Programa de Pós-graduação em Ciência Florestal. UFRPE - Universidade Federal Rural de Pernambuco - 52171-900, Recife, PE. E-mail: rbl_florestal@yahoo.com.br.
2Professor Doutor. UEAP - Universidade do Estado do Amapá -68900-000, Macapá, AP. E-mail: perseu_aparicio@yahoo.com.br.
3Professor Doutor. UFRPE - Universidade Federal Rural de Pernambuco - Departamento de Ciência Florestal - 52171-900, Recife, PE. E-mail: rinaldo@dcfl.ufrpe.br.
4Professora Doutora. UNIFAP - Universidade Federal do Amapá, CEP 68900-000, Macapá, AP. E-mail: wellcampelo@yahoo.com.br.
5Pesquisador Doutor. EMBRAPA/AP - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, Embrapa, AP - 68900-000, Macapá, AP. E-mail: mcguedes@cpafap.embrapa.br.
6Mestrando do Programa de Pós-graduação em Ciências Florestais. UFRPE - Universidade Federal Rural de Pernambuco - 52171-900, Recife, PE. E-mail: cinthia_ueap@hotmail.com.
7Mestrando do Programa de Pós-graduação em Ciências Florestais. UFES - Universidade Federal do Espírito Santo - 29550-000, Jerônimo Monteiro, ES. E-mail: d-armando-silva@hotmail.com.
8Doutorando do Programa de Pós-graduação em Engenharia Florestal. UFLA - Universidade Federal de Lavras – 37200-000, Lavras, MG. E-mail: anderson_pedro22@yahoo.com.br.

Recebido em 26/06/2013 - Aceito para publicação em 29/01/2014

Resumo

As florestas de várzea constituem o segundo maior ambiente florestado da região Amazônica. A espécie Mora paraensis (Ducke), conhecida como pracuúba torna-se alvo de exploração sem conhecimento de manejo florestal, necessitando de aplicação de métodos quantitativos que torne sua produção fonte de matéria prima sustentável. O objetivo deste trabalho foi determinar a equação volume com casca e a classificação da capacidade produtiva de madeira para a espécie. A base de dados utilizada foi do plano de manejo de 144 hectares distribuídos em 36 unidades de trabalho em floresta de várzea no município de Mazagão. O volume real da espécie foi obtido a partir de 20 árvores com DAP ≥ 50 cm cubadas pelo método de Smalian e Hohenald. Foram ajustados 11 modelos volumétricos e, depois de estimados pelo melhor modelo, reuniram-se os volumes de fuste comercial por unidade de trabalho em ordem crescente. Elaborou-se uma matriz X de dados desses volumes. A matriz X foi utilizada como input nas análises de agrupamento e discriminante para definição de classes de estoque volumétrico. A análise estatística dos ajustes permitiu inferir que os modelos de simples entrada apresentaram tendenciosidade. O modelo de dupla entrada de Schumacher-Hall logarítmico foi mais adequado para a estimativa de volume do fuste com casca para a espécie. As 35 unidades de trabalho em que a espécie M. paraensis foi inventariada foram estratificadas em classes de capacidade produtiva de estoque volumétrico (volume mínimo, médio e máximo) podendo permitir futuramente melhor planejamento e ações de manejo, bem como a execução das atividades de colheita, de tratamentos silviculturais e de monitoramento ou inventário florestal contínuo.
Palavras-chave: Manejo florestal, Produção de Madeira, Regressão, Análise multivariada.

Abstract

The floodplain forest is the second largest forested environment of the Amazon region. The species Mora paraensis (Ducke), known as Pracuuba, is becoming the target of exploitation without any knowledge of forest management. There is a requirement of application of quantitative methods that make the production a sustainable source of raw materials. The aim of this study was to determine the volume equation with bark and classification of productive capacity of this woody species. The database used was the management plan of 144 acres divided into 36 units of work in floodplain forest near Mazagão town. The actual volume of the species was obtained from 20 trees ≥ 50 cm cubed by the Smalian and Hohenald method. 11 volumetric models were fitted and after estimation by the best model, the commercial bole volumes were collected by work in ascending order. We developed a matrix X with these volumes of data. The X matrix was used as input in both the cluster and discriminant analysis for defining classes of volumetric stock. Statistical analyses of the fitted models allowed to infer that the models with single entry showed bias. The double-entry Schumacher-Hall logarithmic model was more suitable for the estimation of stem volume with bark for the species. The 35 units of work in which the species M. paraensis was inventoried were stratified into productivity classes of volumetric stock, (minimum, average and maximum volume) that, in future, may allow for better planning and management actions, as well as implementing the harvest, silvicultural treatments and monitoring or continuous forest inventory activities.
Keywords: Forest management. Wood production. Regression. Multivariate analysis.





Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais
Via Comendador Pedro Morganti, 3500 - Bairro Monte Alegre
CEP: 13415-000 - Piracicaba, SP - Brasil
Reprodução permitida desde que citada a fonte.