Scientia Forestalis, volume 45, n. 115
setembro de 2017
DOI: dx.doi.org/10.18671/scifor.v45n115.13

Sobrevivência e crescimento inicial de espécies de eucalipto em diferentes condições climáticas

Survival and initial growth of eucalypts species across climatic conditions

Paulo Henrique Müller da Silva1
David John Lee2
Aline Cristina Miranda3
Celso Luís Marino4
Mario Luiz Teixeira de Moraes5
Rinaldo Cesar de Paula6

1Pesquisador Doutor. IPEF - Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais. Via Comendador Pedro Marganti, 3500 – Bairro Monte Alegre - 13415-000, Piracicaba, SP, Brasil. E-mail: paulohenrique@ipef.br
2Professor Associado. University of the Sunshine Coast / Forest Industries Research Centre. Maroochydore DC 4558, Queensland, Australia.
3Pesquisadora Doutora. Suzano Papel e Celulose / Unidade Mucuri. Rod. BR 101, Km 94,5, s/n – Zona Industrial – 45930-000 – Mucuri, BA, Brasil. E-mail:miranda.acf@gmail.com
4Professor Titular no Departamento de Genética. UNESP - Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” / Instituto de Biociências. Distrito de Rubião Junior, s/n - 18618-970 - Botucatu, SP, Brasil. E-mail: clmarino@ibb.unesp.br
5Professor Titular no Departamento de Fitotecnia, Tecnologia de Alimentos e Sócio Economia. UNESP -  Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” / FEIS - Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira. Av. Brasil, 56 - 15385-000 - Ilha Solteira, SP, Brasil. E-mail: teixeira@agr.feis.unesp.br
6Professor Titular do Departamento de Produção Vegetal. UNESP - Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” / FCAV - Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, Jaboticabal. Via de Acesso Prof. Paulo Donato Castelane, S/N - Vila Industrial - 14884-900 - Jaboticabal, SP, Brasil. E-mail: rcpaula@fcav.unesp.br

Recebido em 13/12/2016 - Aceito para publicação em 30/05/2017

Resumo

No trabalho foi avaliado a adaptação de 19 espécies de eucalipto, a maioria delas sem tradição comercial em escala mundial, em diferentes condições climáticas. Foram utilizadas quatro espécies do gênero Corymbia (C. citriodora citriodora, C. citriodora variegata, C. henryi e C. torelliana) e 15 do gênero Eucalyptus de diferentes seções do subgênero Symphyomyrtus (E. amplifolia, E. argophloia, E. brassiana, E. brookeriana, E. camaldulensis, E. cladocalyx, E. crebra, E. denticulata, E. longirostrata, E. macarthurii, E. major, E. moluccana, E. occidentalis, E. thozetiana e E. urophylla). Foram instalados oito experimentos em diferentes condições climáticas (climas: Am, Aw, Cwa e Cfa), com latitude variando de 00o 37’ a 32º 10’. No Brasil, os ensaios foram instalados nos municípios de Macapá-AP na Região Norte, Itamarandiba-MG, Paraopeba-MG, Borebi-SP, Itatinga-SP na Região Sudeste, Três Lagoas-MS na Região Centro Oeste, Telêmaco Borba-PR na Região Sul e no Uruguai no município de Paysandu.  Os tratamentos foram instalados em parcelas retangulares de 7 x 7 plantas. A análise de adaptabilidade foi realizada a partir dos dados de sobrevivência e do crescimento inicial, utilizando-se o método da Média Harmônica da Performance Relativa do Valor Genético. As espécies E. argophloia, E. brookeriana, E. cladocalyx, E. crebra, E. denticulata, E. macarthurii, E. occidentalis e E. thozetiana não apresentaram boa adaptação apresentando baixa sobrevivência principalmente em condições tropicais (mortalidade > 50%). A espécie que apresentou maior sobrevivência na análise conjunta foi C. torelliana com sobrevivência de 98%. O local que apresentou maior mortalidade foi Macapá com 35% de sobrevivência na média das espécies, sendo que as espécies da seção Exsertaria (subgênero Symphyomyrtus) ou do gênero Corymbia de ocorrência natural de regiões tropicais apresentaram boa sobrevivência, maior tolerância a mancha foliar e maior crescimento. As espécies não comerciais que se destacam em crescimento foram E. longirostrata, C. henryi e E. major.
Palavras-chave: Eucalyptus; Corymbia; adaptação; estresses bióticos e abióticos

Abstract

In this study, 19 eucalypt species were evaluated for adaptation under different climatic conditions in Brazil and Uruguary, the majority of these species have no commercial tradition worldwide. Four of the species evaluated were of the Corymbia genus (C. citriodora citriodora, C. citriodora variegata, C. henryi and C. torelliana) and 15 of the Eucalyptus genus from different sections of the Symphyomyrtus subgenus (E. amplifolia, E. argophloia, E. brassiana, E. brookeriana, E. camaldulensis, E. cladocalyx, E. crebra, E. denticulata, E. longirostrata, E. macarthurii, E. major, E. moluccana, E. occidentalis, E. thozetiana and E. urophylla). Eight experiments were set up under different climatic conditions (climates: Am, Aw, Cwa and Cfa), latitude range from 00o 37' to 32o 10'. In Brazil, the trials were set up in Macapá-AP in the Northern Region, Itamarandiba-MG, Paraopeba-MG, Borebi-SP, Itatinga-SP in the Southeastern Region, Três Lagoas-MS in the Midwest Region, Telemaco Borba-PR in Southern Region and Uruguay near Paysandu City. The treatments were established with rectangular plots of 7 x 7 plants. The adaptability analysis were performed on the survival and initial growth data, using the Harmonic Mean Method of Relative Performance of Genetic Value. The species E. argophloia, E. brookeriana, E. cladocalyx, E. crebra, E. denticulata, E. macarthurii, E. occidentalis and E. thozetiana were poorly adapted, with low survival mainly in tropical conditions (mortality > 50%). The species that had the highest survival in the joint analysis was C. torelliana with survival of 98%. The Macapa trial only had 35% average species survival. In this trial species belonging to Exsertaria section (subgenus Symphyomyrtus)) or the genus Corymbia species from tropical sourcesexhibited good survival, tolerance to leaf spot and growth. The noncommercial eucalypts species that stand out for growth were E. longirostrata, C. henryi and E. major.
Keywords: Eucalyptus; Corymbia; adaptation; biotic and abiotic stresses.





Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais
Via Comendador Pedro Morganti, 3500 - Bairro Monte Alegre
CEP: 13415-000 - Piracicaba, SP - Brasil
Reprodução permitida desde que citada a fonte.