Scientia Forestalis, volume 46, n. 120
dezembro de 2018
DOI: dx.doi.org/10.18671/scifor.v46n120.13

Métodos de enxertia para a produção de mudas de seringueira em viveiro suspenso

Grafting methods for production of rubber tree seedlings in suspended nursery

Karla Borelli Rocha1
José Henrique Tertulino Rocha1
Antonio Natal Gonçalves2

1Departamento de Engenharia Florestal, Faculdade de Agronomia e Engenharia Florestal – FAEF. Garça / SP, Brasil.
2Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” – ESALQ, Universidade de São Paulo, USP. Piracicaba / SP, Brasil.

Recebido em 28/08/2017 - Aceito 25/05/2018

Resumo

A fim de desenvolver um protocolo de produção de mudas de seringueira que atenda as determinações da Resolução SAA – 24 objetivou-se avaliar a taxa de sobrevivência da enxertia em porta-enxertos produzidos em viveiro suspenso. Dentre os métodos de propagação vegetativa existentes, testou-se a enxertia por borbulhia, a enxertia por garfagem fenda cheia e a enxertia por garfagem fenda lateral em 452 porta-enxertos de seringueira. Avaliou-se o efeito do diâmetro dos porta-enxertos, diâmetro do enxerto, relação diâmetro do enxerto/diâmetro do porta enxerto, época do ano, estádio fenológico e método de enxertia na sobrevivência das mudas. Obteve-se sucesso na enxertia de mudas produzidas em viveiro suspenso, tanto o método de borbulhia quanto pelo método de garfagem fenda cheia. Ajustes quanto à temperatura e umidade da casa de vegetação e quanto ao excesso de látex na fenda de enxertia devem ser realizados para se obter maior sobrevivência na enxertia por garfagem em fenda cheia. Não se obteve sucesso com o método de garfagem em fenda lateral. Observou-se que assim como no sistema convencional, o sucesso da enxertia em mudas produzidas em viveiros suspensos apresenta grandes variações ao longo do ano, sendo o verão, a época em que obteve-se maior sucesso. É possível produzir mudas de seringueira em viveiro suspenso pelo método de enxertia por borbulhia, a pleno sol, com um ciclo de 12 meses sendo que com o diâmetro de 7,2 mm, já é possível ter boa soltura de casca e boa sobrevivência da enxertia por borbulhia. Para a enxertia por garfagem, o maior sucesso foi obtido quando utilizou-se enxertos no estádio fenológico C.
Palavras-chave: Borbulhia; Garfagem; Hevea brasiliensis; Propagação vegetativa

Abstract

In order to develop a protocol for rubber tree seedling production that conforms with the Resolution SAA – 24 the objective of this study was to evaluate the survival of grafting on rootstocks produced in a suspended nursery. Among the propagation methods, we tested the budding and grafting by cleft grafting (top cleft and side slit) on 452 rubber tree rootstocks. Assessed were the effect of rootstock diameter, diameter of the graft, relationship of graft diameter / rootstock diameter, season of year, phenology stage and type of graft on survival of seedlings. Success was obtained by grafting seedlings produced in suspended nurseries with the budding method and with top cleft grafting method. However, adjustments in the greenhouse humidity and temperature and on the latex production in the cleft must be done to obtain high survival in grafting by cleft grafting. There was no success with the grafting method by side slit. It was observed that, just as in the conventional system, the success of grafting on seedlings grown in suspended nurseries varies widely throughout the year, and in summer greater success was obtained. Is feasible to produce rubber tree seedlings in suspended nursery by budding, in a production cycle of 12 months, since with 7.2 mm diameter the bark can be easily removed and the bud fixed with high rates of success. For vegetative propagation by grafting the highest success was obtained when we used scions at the phenology stage C.
Keywords: Budding; Grafting; Hevea brasiliensis; Vegetative propagation





Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais
Via Comendador Pedro Morganti, 3500 - Bairro Monte Alegre
CEP: 13415-000 - Piracicaba, SP - Brasil
Reprodução permitida desde que citada a fonte.