Scientia Forestalis, volume 42, n. 101
p.155-163, março de 2014

Ecophysiology of water stressed Handroanthus impetiginosus (Mart. Ex. DC) Mattos) Seedlings

Ecofisiologia de Mudas de Ipê-Roxo (Handroanthus impetiginosus (Mart. ex. DC.) Mattos) Submetidas a Estresse Hídrico

Jeferson Luiz Dallabona Dombroski1
Rômulo Magno Oliveira de Freitas2
Valmor Elias Tomczak3
José Rivanildo de Sousa Pinto4
Raul Martins de Farias5

1Engenheiro Agrônomo, Professor Doutor em fisiologia vegetal. UFERSA - Universidade Federal Rural do Semi-Árido, Departamento de Ciências Vegetais. Caixa Postal 137, 59625-900, Mossoró – e-mail: jeferson@ufersa.edu.br.
2Engenheiro Agrônomo, Doutorando em Fitotecnia. UFERSA - Universidade Federal Rural do Semi-Árido, Departamento de Ciências Vegetais. Caixa Postal 137, 59625-900, Mossoró-RN. E-mail: romulomagno_23@hotmail.com.
3Engenheiro Agrônomo, Mestre em Fitotecnia. UFERSA - Universidade Federal Rural do Semi-Árido, Departamento de Ciências Vegetais. Caixa Postal 137, 59625-900, Mossoró-RN. E-mail: eliastomczak@yahoo.com.br.
4Engenheiro Agrônomo, Mestrando em Fitotecnia. UFERSA - Universidade Federal Rural do Semi-Árido, Departamento de Ciências Vegetais. Caixa Postal 137, 59625-900, Mossoró-RN. E-mail: rivanildo.ufersa@gmail.com.
5Graduando em Agronomia. UFERSA - Universidade Federal Rural do Semi-Árido, Departamento de Ciências Vegetais. Caixa Postal 137, 59625-900, Mossoró – RN.  E-mail: raul-farias@hotmail.com.

Recebido em 31/05/2013 - Aceito para publicação em 06/02/2014

Resumo

O objetivo desse estudo foi avaliar o comportamento ecofisiológico de Handroanthus impetiginosus em resposta a estresse hídrico e à reidratação. Para isso foi realizado um experimento de supressão de irrigação por um período de 12 dias, até o início da queda das folhas. Após esse período a irrigação foi retomada. As variáveis avaliadas foram fotossíntese, condutância estomática, transpiração, eficiência instantânea e intrínseca de uso da água e o potencial hídrico foliar. As avaliações foram realizadas durante o período de suspensão da irrigação e após sua retomada, até que as taxas de fotossíntese das mudas que foram submetidas à suspensão da irrigação igualassem as das que não foram submetidas. O estresse hídrico afetou a fotossíntese, a transpiração e a condutância estomática, com decréscimo dessas variáveis e rápidas recuperações após a reidratação. A eficiência do uso da água aumentou com o estresse hídrico. H. impetiginosus tem a capacidade de reduzir seu potencial hídrico foliar em condições estressantes, e recupera rapidamente a capacidade fotossintética após o período de estresse.
Palavras-chave: Fotossíntese, Potencial hídrico, Condutância estomática, Transpiração. Caatinga.

Abstract

The objective of this work was to evaluate the ecophysiological behavior of Handroanthus impetiginosus seedlings in response to water stress and rehydration. For this, an experiment was conducted, in which irrigation was suppressed for twelve days, up to the beginning of leaves fall, followed by irrigation resumption. The variables measured were photosynthesis, stomatal conductance, transpiration, instantaneous and intrinsic water use efficiency and leaf water potential. The evaluations were made during the irrigation suspension time and after resumption, until the photosynthesis values from water stressed plants equaled those which did not suffer water shortage. Water stress affected photosynthesis, transpiration and stomatal conductance, with diminution of its levels, and fast recovery after rehydration. The water use efficiency was higher with water stress. H. impetiginosus has the capability of reducing its water potential under stress, and has a fast recovery of photosynthetic rates after the end of the stress.
Keywords: Photosynthesis, Stomatal conductance, Water potential, Transpiration, Caatinga.





Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais
Via Comendador Pedro Morganti, 3500 - Bairro Monte Alegre
CEP: 13415-000 - Piracicaba, SP - Brasil
Reprodução permitida desde que citada a fonte.