Scientia Forestalis, volume 44, n. 112
dezembro de 2016
DOI: dx.doi.org/10.18671/scifor.v44n112.23

Crescimento e fitoextração em espécies em espécies florestais após adição de lodo de curtume no substrato

Growth and phytoextraction in forest species after addition of tannery sludge in substrate

Daniele Mozzini Silva1
Ademir Sergio Ferreira de Araujo2
Fabio Fernando de Araujo3

1Engenheiro ambiental. UNOESTE – Universidade do Oeste Paulista. Rua José Bongiovani, 700 - Cidade Universitária – 19050-920 - Presidente Prudente, SP, Brasil. E-mail: dani_mozzini@hotmail.com.
2Professor Associado. UFPI - Universidade Federal do Piauí / Centro de Ciências Agrárias. Campus da Socopo - 64000-000 - Teresina, PI, Brasil. E-mail: asfaruaj@yahoo.com.br.
3Professor Doutor. UNOESTE – Universidade do Oeste Paulista. Rua José Bongiovani, 700 - Cidade Universitária – 19050-920 - Presidente Prudente, SP, Brasil. E-mail: fabio@unoeste.br.

Recebido em 05/05/2015 - Aceito para publicação em 21/06/2016

Resumo

Este trabalho teve como objetivo avaliar o crescimento das mudas de espécies florestais após a adição do lodo de curtume como componente de substrato comercial, na produção de quatro espécies nativas: angico vermelho (Anadenanthera colubrina), angico branco (Anadenanthera macrocarpa), aroeira salsa (Schinus mole), mutambo (Guanzuma ulmifolia) e uma exótica: eucalipto (Eucalyptus urophylla) como também avaliar a fitoextração de nutrientes e de cromo do substrato. Foram avaliadas cinco doses: 5, 10, 15, 20 e 25% de lodo curtume na composição do substrato comercial a base de casca de pinus. Após a semeadura no substrato acondicionado em tubetes, de acordo com cada tratamento, foi acompanhado o desenvolvimento das mudas, durante 120 dias, com avaliações de diâmetro de colo e de produção de biomassa no sistema radicular e parte aérea das nas plantas, como também foram avaliados os teores de macro e micronutrientes, acúmulo de cromo no tecido foliar e teor final de cromo no substrato. As espécies de aroeira salsa, eucalipto e mutambo responderam positivamente à adição de até 25% de lodo de curtume no substrato. Sendo que a aroeira salsa apresentou a maior capacidade de absorção de cromo na parte aérea e também se destacou como a espécie de melhor crescimento em resposta a adição do lodo no substrato. O teor de cromo no substrato foi reduzido após o crescimento das mudas, sendo menor quando se produziu o eucalipto.
Palavras-chave: Resíduos orgânicos; reciclagem; cromo.

Abstract

This study aims to evaluate the use of tannery sludge as a component of commercial substrate, to produce seedlings for reforestation of four native species: Anadenanthera colubrina; Anadenanthera macrocarpa; Schinus mole; Guanzuma ulmifolia) and one exotic species: Eucalyptus urophylla; and also to evaluate the removal of nutrients and chromium from the substrate. This study evaluated the incorporation of five doses (5, 10, 15, 20 and 25%) of tannery sludge used in commercial substrate for growth of different native and exotic species suitable for reforestation. The experiment was conducted in greenhouse seedling growth. After sowing into substrate in tubes, each treatment was examined for plant development for 120 days, with periodic assessment of height and final evaluation of biomass (roots and shoots) in plants; contents of macro and micronutrients and accumulation of chromium in the leaf tissue was also examined. Three forest species responded positively to the addition of up to 25% of tannery sludge on the substrate to produce seedlings. Schinus mole showed a high absorption of chromium into the shoot and also provided the best growth in response to sludge addition on the substrate. Chromium content in the substrate was reduced after cultivation of forest species, with emphasis on the performance found by eucalyptus seedlings.
Keywords: Organic waste; recycling; chromium.





Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais
Via Comendador Pedro Morganti, 3500 - Bairro Monte Alegre
CEP: 13415-000 - Piracicaba, SP - Brasil
Reprodução permitida desde que citada a fonte.