Os programas cooperativos e as empresas

O IPEF tem diversas formas de atuar, destacando-se a que ocorre através dos programas cooperativos que se constituem na razão principal da existência, pois através deles são atingidos os principais objetivos do instituto que são as ações de integração universidade-empresa e interação entre as mesmas, além da difusão de informações técnicas ao setor florestal.

Os programas atuais são:

Programa Cooperativo sobre Melhoramento Florestal (PCMF): visa ampliar e manter a base genética disponível no país, principalmente, de espécies dos gêneros Eucalyptus e Corymbia por meio do resgate e da importação de sementes e pólen. Compõe populações de conservação e de melhoramento visando a recombinação e disponibilização de genótipos melhorados.

Programa Cooperativo sobre Silvicultura e Manejo (PTSM): desenvolve projetos de pesquisa e desenvolvimento gerando embasamento científico e tecnológico adequado para a tomada de decisão operacional da área de silvicultura das empresas, visando ao aumento da produtividade dos povoamentos florestais e à sustentabilidade a médio e longo prazos.

Programa Cooperativo sobre Proteção Florestal (PROTEF): busca soluções objetivas, por meio de projetos de pesquisa, para aperfeiçoar o manejo integrado de pragas e doenças, implementando sistemas que levem em consideração a flutuação populacional dos insetos-pragas e inimigos naturais e as formas de monitoramento e controle mais adequados, respeitando aspectos técnicos, econômicos, sociais e ambientais.

Programa Cooperativo sobre Mecanização e Automação Florestal (PCMAF): Visa aumentar a produtividade com alto padrão de qualidade das operações, por meio da mecanização e automação de processos. Atuando na prospecção e avaliação de equipamentos e máquinas florestais, bem como, na capacitação profissional dos colaboradores envolvidos, interagindo com empresas, universidades e centros de pesquisas nacionais e internacionais.

Programa Cooperativo sobre Tecnologias LiDAR (PROLiDAR): desenvolve projetos de pesquisa na área de telemetria a laser com LiDAR, estereoscopia e visão computacional, e investiga o potencial dessas novas tecnologias quantificarem e qualificarem com maior precisão a biomassa florestal existente acima do solo.

Programa Cooperativo sobre Monitoramento e Modelagem de Bacias Hidrográficas (PROMAB): desenvolve projetos de pesquisa na área de hidrologia florestal e estuda os efeitos do manejo de florestas plantadas nos recursos hídricos, através de monitoramentos contínuos em microbacias hidrográficas experimentais e modelagem, visando contribuir para a melhoria contínua do manejo florestal sustentável.

Programa Cooperativo sobre Produtividade e Fluxos de Carbono e Água em Eucalyptus (EUCFLUX): estuda de forma detalhada a ciclos biogeoquímicos de uma plantação de Eucalyptus, permitindo entender melhor o comportamento do sequestro de carbono e o efeito nos recursos hídricos. As medições continuadas ao longo da segunda rotação completa permitirão avaliar a dinâmica de carbono e água no solo em sucessivos ciclos de produção.

Programa Cooperativo sobre Produtividade Potencial do Pinus no Brasil (PPPIB): estuda os fatores silviculturais, genéticos e ambientais que controlam o crescimento das plantações de Pinus tropicais e subtropicais pela manipulação dos recursos nutricionais, hídricos e da população em três sítios do Brasil e pelo uso de parcelas quadrigêmeas de inventário.

Programa Cooperativo sobre Tolerância de Eucalyptus Clonais aos Estresses Hídrico, Térmico e Biótico (TECHS): estuda a interação entre genótipo, ambiente e manejo quanto à captura e perda de carbono, e aos aspectos ecofisiológicos que explicam a toler?ncia do eucalipto a estresses hídrico, térmico e biótico nos principais clones e regiões do Brasil e Uruguai, com aplicações em silvicultura, genética e proteção florestal.

Programa Cooperativo sobre Certificação Florestal (PCCF): promove a troca de informações cientificas e experiências sobre a certificação florestal no Brasil entre as empresas filiadas, certificadoras, universidades, profissionais, organizações e instituições de pesquisas. Atua no acompanhamento, discussão e difusão de políticas e atualizações dos sistemas de certificação, a fim de orientar as empresas a conquistar e manter sua certificação socioambiental.

Programa de Preparação de Gestores Florestais (PPGF): aproxima Engenheiros Florestais recém-formados de professores, pesquisadores e profissionais com grande experiência que atuam em empresas do setor florestal, de modo a proporcionar um melhor desempenho profissional inicial nas empresas florestais e órgãos publicos.


Programas encerrados

Programa Cooperativo sobre Torre de Fluxo (EUCFLUX): estudou o fluxo carbono, água, energia e nutrientes em florestas clonais de eucalipto, estimando a eficiência do uso desses recursos no crescimento da floresta e validando modelos ecofisiológicos a serem usados para análise da produção e sustentabilidade desses ecossitemas.

Programa de Produtividade Potencial do Eucalyptus no Brasil (BEPP): estuda os fatores silviculturais e ambientais que determinam o crescimento das plantações de Eucalyptus, estimando a produtividade potencial através do conhecimento da eficiência do uso do recurso hídrico, da disponibilidade nutricional e da estratificação das árvores.

Programa Cooperativo sobre Silvicultura de Nativas (PCSN): busca a interação entre empresas e instituições, facilitando a troca, consolidação e sistematização das informações já existentes, racionalizando os esforços de pesquisa e buscando maior integração entre empresas e a sociedade, tendo em vista a restauração florestal (com foco em áreas de preservação permanente e reserva legal) e silvicultura de nativas com fins econômicos.

Programa Cooperativo sobre Clonagem e Enraizamento de Eucalipto (PECE): desenvolve protocolos para a produção clonal em larga escala de genótipos selecionados de eucaliptos subtropicais e seus híbridos por meio das técnicas de miniestaquia e microestaquia, com especial atenção para a indução e formação de um sistema radicular morfofisiologicamente funcional.

Programa Parcelas Gêmeas de Inventário (PPGI): determina as limitações nutricionais, hídricas e de manejo de plantações florestais numa ampla escala espacial e temporal, determinando a diferença entre a produtividade real e potencial em diferentes situações e identificando as causas e estabelecendo critérios para o manejo.

Programa Cooperativo de Dispersão de Pólen (PRODIP): a carência de informações sobre polinização efetiva em diferentes distâncias da fonte doadora de pólen vem sendo um grande entrave para a aprovação de liberações planejadas para plantio. Os resultados deste projeto são de interesse dos melhoristas florestais e constituirão uma importante ferramenta para auxiliar os aspectos regulatórios da biotecnologia florestal.

Programa Cooperativo de Populações Núcleos de Melhoramento (PCPN): o projeto irá reunir materiais melhorados existentes nas empresas e nas estações experimentais formando um grande acervo. O agrupamento e a recombinação servirão como fonte de sementes e de material para o desenvolvimento do melhoramento nas empresas e será de grande importância para a expansão e a conservação genética.

Programa Cooperativo de Novos Cultivares (PCNC): a utilização de clones de espécies puras ou híbridos do gênero Eucalyptus nos plantios comerciais de empresas florestais é comum, e esses clones plantados comercialmente chamam a atenção de pequenos e médios produtores devido à grande produtividade. Porém estes materiais tendem a ter qualidades específicas à finalidade de uso, ou seja, possuem características específicas e muitas vezes não atendem aos produtores que preferem materiais para usos múltiplos e também para outras condições edafoclimáticas. Com objetivo de suprir essa demanda o Projeto Cultivares de Eucalipto tem como base a seleção e testes dos novos cultivares que serão implantados em diferentes condições edafo-climáticas, visando à seleção de clones de boa performance e plasticidade.




Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais
Via Comendador Pedro Morganti, 3500 - Bairro Monte Alegre
CEP: 13415-000 - Piracicaba, SP - Brasil
Reprodução permitida desde que citada a fonte.