Dados da Espécie

Especificações Gerais
Familia: Bignoniaceae
Nome Científico: Tabebuia alba(Cham.) Sandw
Nomes Comuns: ipê amarelo, aipê, ipê, ipê amarelo de folha branca, ipê branco, ipê dourado, ipê mamono, ipê mandioca, ipê ouro, ipê pardo, ipê da serra, ipê de cerrado, ipê vacariano, ipezeiro, pau darco amarelo, tapioca.
Crescimento: árvore
Grupo Ecológico: oportunista
Ocorrência: floresta estacional semidecídual , floresta de araucária , cerrado
Distribuição Geográfica: BA ES GO MG MS PR RJ RS SC SP
Dispersão: anemocoria
Polinização: melitofilia
Floração: JUL AGO SET OUT NOV DEZ
Frutificação: SET OUT NOV DEZ JAN FEV

Utilização
Utilizada para: Construção
Carvão
Arborização Urbana
Medicina
Paisagismo

Dados do Caule
Densidade da Madeira: 0,9
Observações: Tronco liso, cilíndrico, muitas vezes tortuoso e cínico, com base dilatada e casca de cor cinza.

Dados da Flor
Cor: amarela
Tipo: Inflorescencia
Observações: Em tirso multifloral terminal com 10 a 20 cm de comprimento. Suas vistosas flores amarelas facilitam a identificação á distância. As flores aparecem antes do surgimento da folhas.

Dados da Folha
Estrutura: digitada
Tipo: Composta
Forma da Folha: lanceolada
Tamanho da Folha: 8 x 15
Inserção: oposta
Consistência: coriácea
Contem: Nervação
Observações: Com pecíolo de 2,5 a 10 cm de comprimento. Usualmente com 5 a 7 folíolos, de 7 a 18 cm de comprimento por 2 a 6 cm de largura, com ápice pontiagudo, base arredondada e margem serreada. O denominação alba refere-se ao tomento branco ou esbranquiçado dos raminhos novos e folhas, sendo uma característica dendrológica muito forte e superável dos outros ipês amarelos.

Dados do Fruto
Tipo do Fruto: síliqua
Estrutura: Seco
Cor do Fruto: amarela
Tamanho: 25
Deiscencia: sim
Periodicidade: anual
Observações: O fruto é uma síliqua alongada, cilíndrica, coberta de pêlos dourados, com muitas sementes.

Dados sobre Pragas e Doenças
Descrição da Doença: Pragas: Cydianerus bohemani (Coleóptera, Curculionoideae) e um outro coleóptero da família Chrysomellidae. Apesar da constatação de elevados índices populacionais do primeiro, os danos ocasionados até o momento são leves. Nas praças e ruas de Curitiba - PR, 31% das árvores foram atacadas pela Cochonilha Ceroplastes grandis.

Dados das Sementes
Forma da Semente: asa
Cor da Semente: marrom
Tamanho: 3
Observações: Com duas asas membranáceas brilhantes, de 7 a 9 mm de largura.

Técnicas em Viveiro
Beneficiamento: Os frutos devem ser coletados antes da dispersão, para evitar a perda de sementes. Após a coleta as sementes são postas em ambiente ventilado e a extração é feita manualmente. As sementes do ipê amarelo são ortodoxas, mantendo a viabilidade natural por até 3 meses em sala e por até 9 meses em vidro fechado, em câmara fria.
Sementes por Kilo: 87000
Dormência: não
Quebra Natural: 3 meses
Quebra Câmara: 9 meses
Umidade: 0 %
Germinação: 80 % após 30 dias
Propagação: enxertia
Condução: pleno sol
Formação: a 30 cm em 9 meses
Tolerância: sim, 3 semanas após a germinação
Plantio: O ipê amarelo apresenta crescimento lento. Em plantios com espaçamento 4 x 3 m a porcentagem de plantas vivas foi de 93,65%.
Conservação: Muito ameaçada.

Bibliografia
CARVALHO, P.E.R. Espécies florestais brasileiras. Recomendações Silviculturais, potencialidades e uso da madeira. EMBRAPA-CNPF. Brasília. 1994. 640p.

ENGEL, V.L.; MORAIS, A.L. & POGGIANI, F. Guia de localização e reconhecimento das principais espécies arbóreas do Parque da Esalq. Relatório de Pesquisa. FEALQ. 1984.

LORENZI, H. Árvores brasileiras. Manual de Identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. Nova Odessa. Ed. Plantarum. 1992. 352p.

BARROSO, M.G. Sistemática de Angiospermas do Brasil. EDUSP. V.1, V.2, V3.




Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais
Via Comendador Pedro Morganti, 3500 - Bairro Monte Alegre
CEP: 13415-000 - Piracicaba, SP - Brasil
Reprodução permitida desde que citada a fonte.