Dados da Espécie

Especificações Gerais
Familia: Rubiaceae
Nome Científico: Genipa americana L.
Nomes Comuns: jenipapo,jenipapeiro, jenipá, jenipapinho, janipaba, janapabeiro, janipapo, cabaçu, janipapeiro, jenipapo branco, jenipapo manso, jenipapo bravo, jenipava, guaitil, huito, caruto, jagua
Crescimento: árvore
Grupo Ecológico: oportunista
Ocorrência: floresta estacional semidecídual , floresta ombrófila densa , mata ciliar
Distribuição Geográfica: AC AL AM BA CE ES GO MA MG MS MT PA PE RJ RO SE SP
Dispersão: zoocoria
Polinização: melitofilia
Floração: OUT NOV DEZ JAN
Frutificação: NOV DEZ JAN FEV

Utilização
Utilizada para: Construção
Resina
Arborização Urbana
Medicina
Melífera
Frutifera
Paisagismo
Fauna

Dados do Caule
Tipo de Copa: globosa
Tipo de Estrutura: não há
Densidade da Madeira: 0,68

Dados da Flor
Forma da Flor: campânula
Número de Pétalas: 5
Tamanho da Flor: 3
Cor: amarela
Estrutura: cimeira
Tipo: Inflorescencia
Sexual: cimeira
Observações: As flores são muito perfumadas e reunidas em inflorescências terminais e sub terminais de 5 a 10 cm de comprimento.

Dados da Folha
Tipo: Simples
Forma da Folha: oblonga
Tamanho da Folha: 10 x 30
Inserção: espiralada
Consistência: coriácea
Contem: Estipulas
Nervação
Observações: A folha mede 3 a 10 cm de largura e 10 a 50 cm de comprimento, possui superfície e margens lisas. As folhas se apresentam agrupadas no extremo dos ramos. O pecíolo é curto, com 2 estípulas interpeciolares. A árvore apresenta caducifolia nos meses de novembro e dezembro (época em que os frutos estão verdes).

Dados do Fruto
Tipo do Fruto: baga
Estrutura: Carnoso
Cor do Fruto: marrom
Tamanho: 12
Deiscencia: não
Periodicidade: anual
Observações: O fruto, que pesa entre 200 a 400 g é fortemente aromático quando maduro. A polpa adocicada é utilizada para fabricar licores, vinhos e compotas, sendo indicada contra anemia, asma, icterícia, afeções do fígado e do baço. Quando verde, encerra substância que, combinada com a proteína epidérmica, desenvolve aos poucos coloração azul escura.

Dados sobre Pragas e Doenças
Descrição da Doença: As folhas são atacadas por Pseudococus sp, causando um "enrolamento" em forma de charuto e de coloração escura.

Dados das Sementes
Cor da Semente: marrom
Tamanho: 1
Quantidade: 40
Observações: A dispersão das sementes pode ser autocórica (aves, mamíferos, morcegos e peixes) e hidrocórica (rios), devido a sua ocorrência freqüente junto aos cursos dágua. Existe uma variedade de jenipapo que não apresenta sementes.

Técnicas em Viveiro
Beneficiamento: Os frutos devem ser colhidos da árvore quando iniciarem a queda espontânea, ou recolhê-los no chão após a queda. Despolpá-los manualmente sob água corrente dentro de uma peneira, deixando as sementes secar á sombra, em local ventilado. O armazenamento das sementes deve ser feito em câmara fria (T= 19 C).
Sementes por Kilo: 15000
Dormência: não
Quebra da Dormência: Não há necessidade, porém a imersão em água á temperatura ambiente por 48 horas acelera o início da germinação.
Quebra Natural: 3 meses
Quebra Câmara: 6 meses
Umidade: 40 %
Germinação: 70 % após 30 dias
Propagação: enxertia
Condução: sombreado
Formação: a 30 cm em 8 meses
Tolerância: sim, 3 semanas após a germinação.
Plantio: Por ser espécie semi heliófila, tolera sombreamento moderado quando jovem. Não tolera o frio. Apresenta dominância apical bem definida, boa desrama natural e brotação vigorosa após o corte. É recomendada em plantios mistos, associada com espécies pioneiras, em faixas abertas na floresta secundária (plantada em linha), e em sistemas agroflorestais (em espaçamento 10 x 10 m). É ótima opção para pequenos agricultores, para produção de madeira para construção e frutos de valor comercial. É recomendada em áreas com o solo permanentemente encharcado.
Conservação: Pouco ameaçada.

Bibliografia
AGUIAR, I.B.; PINÃ-RODRIGUES, F.C.M. & FIGLIOLIA, M.B. Sementes Florestais Tropicais. ABRATES. Brasília. 1993. 350p.

CORREA, M.P. Dicionário das plantas úteis do Brasil e das exóticas Cultivadas. Ministério da Agricultura. Rio de janeiro. 1931.

ENGEL, V.L.; MORAIS, A.L. & POGGIANI, F. Guia de localização e reconhecimento das principais espécies arbóreas do Parque da Esalq. Relatório de Pesquisa. FEALQ. 1984.

LORENZI, H. Árvores brasileiras. Manual de Identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. Nova Odessa. Ed. Plantarum. 1992. 352p.

PINÃ RODRIGUES, F.C.M. & FIGLIOLA, M.B. Informações práticas sobre sementes de espécies arbóreas. 1992. 48p.(Não Publicado).




Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais
Via Comendador Pedro Morganti, 3500 - Bairro Monte Alegre
CEP: 13415-000 - Piracicaba, SP - Brasil
Reprodução permitida desde que citada a fonte.