Dados da Espécie

Especificações Gerais
Familia: Apocynaceae
Nome Científico: Aspidosperma polyneuron M. Arg.
Nomes Comuns: amargoso, guatambu amarelo, pau caboclo, peroba, peroba açu, peroba amarela, peroba amargosa, peroba branca, peroba comum, peroba mirim, peroba miúda, peroba osso, peroba paulista, peroba rajada, peroba verdadeira, peroba de são paulo, peroba do rio, perobeira, perobinha, perova, sobro.
Crescimento: árvore
Grupo Ecológico: tolerante
Ocorrência: floresta estacional semidecídual , floresta ombrófila densa , floresta de araucária
Distribuição Geográfica: BA ES MG MS MT PR RJ RO SP
Dispersão: anemocoria
Polinização: fanelofilia
Floração: SET OUT NOV DEZ
Frutificação: JUN JUL AGO SET OUT NOV

Utilização
Utilizada para: Construção
Carvão
Medicina
Paisagismo
Madeira Nobre

Dados do Caule
Tipo de Copa: piramidal
Tipo de Estrutura: raízes tabulares
Densidade da Madeira: 0,83
Observações: A casca apresenta uma espessura de até 35 mm sendo que a parte externa é profundamente fissurada e cinzenta e a parte interna é rosa escura.

Dados da Flor
Forma da Flor: hipocrater
Número de Pétalas: 5
Tamanho da Flor: 2
Cor: amarelada
Estrutura: cacho
Tipo: Inflorescencia
Sexual: cacho
Observações: As flores são muito pequenas dificultando a sua visualização dentro da floresta.

Dados da Folha
Tipo: Simples
Forma da Folha: oblonga
Tamanho da Folha: 3 x 8
Inserção: alterna
Consistência: coriácea
Contem: Nervação
Observações: As folhas apresentam um cheiro aromático e um sabor agradável. Quando a folha é arrancada ela exsuda látex.

Dados do Fruto
Tipo do Fruto: cápsula
Estrutura: Seco
Cor do Fruto: marrom
Tamanho: 4
Deiscencia: sim
Periodicidade: anual
Observações: O fruto é densamente coberto de lenticelas.

Dados sobre Pragas e Doenças
Descrição da Doença: Pragas: o ataque de cupim na madeira ás vezes deixa o tronco oco.

Dados das Sementes
Forma da Semente: asa
Cor da Semente: marrom
Tamanho: 3
Quantidade: 3
Observações: A semente apresenta um núcleo seminal basal, sendo alada e elíptica.

Técnicas em Viveiro
Beneficiamento: A coleta é feita através de podões ou ganchos metálicos. As melhores temperaturas para germinação em laboratório são 20C em papel mata borrão verde ou vermiculirte número 3.
Sementes por Kilo: 9000
Dormência: não
Quebra Natural: 0 meses
Quebra Câmara: 0 meses
Umidade: 0 %
Germinação: 50 % após 40 dias
Propagação: não tem
Condução: sombreado
Formação: a 30 cm em 9 meses
Tolerância: sim , 6 semanas após a germinação.
Plantio: O crescimento é muito lento. Em condições ideais, o incremento médio anual em altura nas primeiras duas décadas é de aproximadamente 50 cm. O espaçamento médio é 2 x 2 m e a porcentagem média de plantas vivas é de 64%.
Conservação: muito ameaçada.

Bibliografia
ENGEL, V.L.; MORAIS, A.L. & POGGIANI, F. Guia de localização e reconhecimento das principais espécies arbóreas do Parque da Esalq. Relatório de Pesquisa. FEALQ. 1984.

LORENZI, H. Árvores brasileiras. Manual de Identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. Nova Odessa. Ed. Plantarum. 1992. 352p.

CARVALHO, P.E.R. Espécies florestais brasileiras. Recomendações Silviculturais, potencialidades e uso da madeira. EMBRAPA-CNPF. Brasília. 1994. 640p.

JANKOWSKY, I.P. Madeiras Brasileiras. Caxias do Sul, SPECTRUM, 1990, V.1.

BARROSO, M.G. Sistemática de Angiospermas do Brasil. EDUSP. V.1, V.2, V3.




Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais
Avenida Pádua Dias, 11 - Caixa Postal 530 - CEP: 13400-970 - Piracicaba/SP
Reprodução permitida desde que citada a fonte.