Dados da Espécie

Especificações Gerais
Familia: Rutaceae
Nome Científico: Balfourodendron riedelianum (Engl.) Engl.
Nomes Comuns: farinaha seca, farinha seca branca, gramixinga, guamuxinga, guarataia, guataio, guatambu branco, guaximinga, marfim, mucambo, pequiá mamona, pequiá marfim, pereiro preto
Crescimento: árvore
Grupo Ecológico: oportunista
Ocorrência: floresta de araucária
Distribuição Geográfica: BA ES MG PR RS SC SP
Dispersão: anemocoria
Polinização: melitofilia
Floração: JUN JUL
Frutificação: OUT NOV

Utilização
Utilizada para: Construção
Arborização Urbana
Paisagismo
Madeira Nobre

Dados do Caule
Tipo de Copa: irregular
Tipo de Estrutura: lenticelas
Densidade da Madeira: 0,73
Observações: A casca apresenta uma espessura de até 20 mm, sendo que a parte externa apresenta numerosas lenticelas que se distribuem em fileiras longitudinais.

Dados da Flor
Forma da Flor: campânula
Número de Pétalas: 5
Tamanho da Flor: 0,3
Cor: branca
Estrutura: cacho
Tipo: Inflorescencia
Sexual: cacho
Observações: A panícula que as flores apresentam tem comprimento de aproximadamente 7,5 cm.As inflorescências apresentam 7,5 cm de comprimento.

Dados da Folha
Estrutura: trifoliolada
Tipo: Composta
Forma da Folha: oblanceolada
Tamanho da Folha: 3 x 9
Inserção: oposta
Contem: Nervação
Observações: Os folíolos apresentam numerosos pontos pretos e domácias nas axilas. O cheiro e o sabor são indistintos.

Dados do Fruto
Tipo do Fruto: sâmara
Estrutura: Seco
Cor do Fruto: amarela
Tamanho: 4
Deiscencia: não
Periodicidade: anual
Observações: A fruta apresenta 4 asas grandes coriáceas.

Dados sobre Pragas e Doenças
Descrição da Doença: Pragas: os insetos que atacam esta espécie são fundamentalmente Brenthus e Anchoragus (Família Brentidae) e diversas espécies das famílias Scotylidae, Platypodidae e Cerambycidae. Entre os danos que provocam citam-se perfurações na casca, chegando até o câmbio e o alburno, donde formam galerias. Atacam árvores em pé e recém-cortadas. A cochonilha Ceroplastes grandis foi observada atacando 100% das árvores de pau marfim em praças de Curitiba-PR.

Dados das Sementes
Forma da Semente: asa
Cor da Semente: preta
Tamanho: 0,9
Quantidade: 3
Observações: As sementes são em forma elipsóides e podem apresentar lóculos vazios.

Técnicas em Viveiro
Beneficiamento: Os frutos devem ser coletados quando passam da coloração verde para amarelo. Os frutos com capacidade germinativa inicial de 37%, armazenados em sacos plásticos em ambiente de sala e em câmara fria, aos 12 anos apresentaram germinação de 7% e 31%, respectivamente.
Sementes por Kilo: 10500
Dormência: sim
Quebra da Dormência: Recomenda-se colocar os frutos, com as asas cortadas, em imersão em água fria por 24h. O corte das asas permitirá uma melhor penetração da umidade. Recomenda-se que seja feita uma escarificação mecânica.
Quebra Natural: 5 meses
Quebra Câmara: 18 meses
Umidade: 0 %
Germinação: 50 % após 15 dias
Propagação: enxertia
Condução: pleno sol
Formação: a 30 cm em 6 meses
Tolerância: sim, 3 semanas após a germinação
Plantio: O crescimento é lento a moderado, sendo que a maior produtividade volumétrica obtida em plantios foi 12 m3/ha/ano aos 26 anos. O espaçamento médio mais utilizado é 3 x 3 m, onde a porcentagem média de plantas vivas é 68%.
Conservação: Muito ameaçada.

Bibliografia
ENGEL, V.L.; MORAIS, A.L. & POGGIANI, F. Guia de localização e reconhecimento das principais espécies arbóreas do Parque da Esalq. Relatório de Pesquisa. FEALQ. 1984.

LORENZI, H. Árvores brasileiras. Manual de Identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. Nova Odessa. Ed. Plantarum. 1992. 352p.

CARVALHO, P.E.R. Espécies florestais brasileiras. Recomendações Silviculturais, potencialidades e uso da madeira. EMBRAPA-CNPF. Brasília. 1994. 640p.

BARROSO, M.G. Sistemática de Angiospermas do Brasil. EDUSP. V.1, V.2, V3.




Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais
Via Comendador Pedro Morganti, 3500 - Bairro Monte Alegre
CEP: 13415-000 - Piracicaba, SP - Brasil
Reprodução permitida desde que citada a fonte.