Dados da Espécie

Especificações Gerais
Familia: Caesalpinaceae
Nome Científico: Caesalpinia leiostachya (Benth.) Ducke
Nomes Comuns: pau ferro, giúna, ibirá boi, imirá obi, imirá itá, jucá, muirá obi, muirapixuma, mururé,pau ferro da mata, pau ferro do norte, pau ferro verdadeiro, quebra foice, quiriripiranga
Crescimento: árvore
Grupo Ecológico: oportunista
Ocorrência: floresta estacional semidecídual , floresta ombrófila densa , caatinga
Distribuição Geográfica: BA CE ES MG PE PI RJ SP
Dispersão: autocoria
Polinização: melitofilia
Floração: NOV DEZ JAN FEV
Frutificação: JUL AGO SET

Utilização
Utilizada para: Construção
Carvão
Arborização Urbana
Medicina
Paisagismo
Madeira Nobre

Dados do Caule
Tipo de Copa: irregular
Tipo de Estrutura: não há
Densidade da Madeira: 1,12
Observações: A casca apresenta uma espessura de até 10 mm e algumas manchas brancas irregulares que contrastam com o fundo escuro do tronco.

Dados da Flor
Número de Pétalas: 1
Tamanho da Flor: 20
Cor: amarela
Estrutura: cacho
Tipo: Inflorescencia
Sexual: cacho
Observações: As flores são pequenas e reunidas em panículas terminais. A inflorescência tem até 20 cm.

Dados da Folha
Estrutura: imparipinada
Tipo: Composta
Forma da Folha: obovada
Tamanho da Folha: 12
Inserção: alterna
Consistência: foliácea
Contem:
Observações: As folhas apresentam pouco brilho e não têm cheiro nem sabor distintos.

Dados do Fruto
Tipo do Fruto: vagem
Estrutura: Seco
Cor do Fruto: preto
Tamanho: 10
Deiscencia: não
Periodicidade: anual
Observações: O fruto ao amadurecer se torna chocalhante devido as sementes se soltarem dentro de cada lóculo da vagem.

Dados sobre Pragas e Doenças
Descrição da Doença: Pragas: besouros da família Scolytidae, com danos leves.

Dados das Sementes
Cor da Semente: marrom
Tamanho: 0,7
Quantidade: 6
Observações: As sementes são de forma elipsóides, duríssimas.

Técnicas em Viveiro
Beneficiamento: A coleta pode ser feita catando-se os frutos caídos em área limpa. Pode ser utilizada uma máquina trituradora de grãos para o beneficiamento mecânico. As sementes dessa espécie em geral não têm boa conservação mesmo quando colocadas em ambiente de T=21C e UR=47%.
Sementes por Kilo: 8700
Dormência: sim
Quebra da Dormência: São usados tratamentos pré-germinativos: a-imersão em água quente, fora do aquecimento, com temperatura de 8C, retirada da fonte de calor e deixada neste estado por 15 minutos; b-imersão em ácido sulfúrico concentrado por 5 minutos; c-escarificação mecânica; d-imersão em água ambiente por 12 horas para embebição.
Quebra Natural: 2 meses
Quebra Câmara: 8 meses
Umidade: 0 %
Germinação: 90 % após 90 dias
Condução: pleno sol
Formação: a 30 cm em 3 meses
Tolerância: sim , 90 semanas após germinação
Plantio: O crescimento do pau ferro varia de lento a rápido e chega a atingir uma produtividade volumétrica de até 17,20 m3/ha/ano. O espaçamento médio utilizado é de 2 x 2 m e a porcentagem média de plantas vivas é de 88%.
Conservação: muito ameaçada.

Bibliografia
ENGEL, V.L.; MORAIS, A.L. & POGGIANI, F. Guia de localização e reconhecimento das principais espécies arbóreas do Parque da Esalq. Relatório de Pesquisa. FEALQ. 1984.

LORENZI, H. Árvores brasileiras. Manual de Identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. Nova Odessa. Ed. Plantarum. 1992. 352p.

CARVALHO, P.E.R. Espécies florestais brasileiras. Recomendações Silviculturais, potencialidades e uso da madeira. EMBRAPA-CNPF. Brasília. 1994. 640p.

BARROSO, M.G. Sistemática de Angiospermas do Brasil. EDUSP. V.1, V.2, V3.




Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais
Via Comendador Pedro Morganti, 3500 - Bairro Monte Alegre
CEP: 13415-000 - Piracicaba, SP - Brasil
Reprodução permitida desde que citada a fonte.