Dados da Espécie

Especificações Gerais
Familia: Moraceae
Nome Científico: Chlorophora tinctoria (L.) Gaud.
Nomes Comuns: amarelinho, amora, amora branca, amora de espinho, amora do mato, amoreira, amoreira amarela, amoreira branca, amoreira brava, amoreira de espinho, amoreira do campo, amoreira do mato, espinheiro branco, espinheiro bravo, itajubá, jataíba, jataúba, limãorana, limãorana amarelo, limorana, mora, mora de espinho, moratana, moreira, moreira branca, pau amaralo, pau brasil, pau de cores, pau de fogo, runa, taíuba, taiúva, taiúva vermelha, tajaúba, tajiba, tajuba, tajuba de espinho, tajuva, tajuvão, tataíba, tataiúva, tatajiba, tatajuba, tatajuba de espinho, tatajuva, tatané, tatarema, taúba
Crescimento: árvore
Grupo Ecológico: oportunista
Ocorrência: floresta estacional semidecídual , floresta ombrófila densa, floresta de araucária
Distribuição Geográfica: AC AL AM BA CE ES GO MA MG MT PA PE PI PR RJ RN RS
Dispersão: zoocoria
Polinização: melitofilia
Floração: SET OUT
Frutificação: DEZ JAN

Utilização
Utilizada para: Construção
Resina
Arborização Urbana
Medicina
Frutifera
Paisagismo
Madeira Nobre

Dados do Caule
Tipo de Copa: irregular
Densidade da Madeira: 0,81
Observações: O caule apresenta espessura de até 15 mm, sendo que a sua textura é arenosa e levemente amarga, que quando cortada exsuda látex amarelo e resina branca.

Dados da Flor
Número de Pétalas: 1
Tamanho da Flor: 0
Cor: amarela
Tipo: Inflorescencia
Sexual:
Observações: Flores masculina e feminina distribuídas no mesmo receptáculo.

Dados da Folha
Tipo: Simples
Forma da Folha: lanceolada
Tamanho da Folha: 7 x 12
Inserção: alterna
Consistência: foliácea
Contem: Nervação
Observações: A folha quando macerada exsuda látex amarelo. A sua textura é áspera e a superfície é lisa, contendo dentes serrados.

Dados do Fruto
Tipo do Fruto: drupa
Estrutura: Carnoso
Cor do Fruto: verde
Tamanho: 20
Deiscencia: sim
Periodicidade: anual
Observações: O fruto é composto de forma irregular, geralmente globoso.

Dados sobre Pragas e Doenças
Descrição da Doença: Pragas: o coleóptero cerambicídeo Oncideres dejeani, "serrador", com danos leves nos galhos.

Dados das Sementes
Cor da Semente: castanho
Tamanho: 3
Observações: A semente tem forma achatada.

Técnicas em Viveiro
Beneficiamento: O fruto deve ser coletado quando muda de cor, passando para cor escura. Após a coleta, deve ser lavado, macerado e passado em peneira, para separar as sementes que devem ser secas ao ar livre.
Sementes por Kilo: 317000
Dormência: não
Quebra Natural: 6 meses
Quebra Câmara: 12 meses
Umidade: 0 %
Germinação: 50 % após 30 dias
Propagação: estaquia
Condução: pleno sol
Formação: a 30 cm em 4 meses
Tolerância: sim, 6 semanas após a germinação.
Plantio: Em regeneração natural apresenta um bom crescimento.
Conservação: Muito ameaçada.

Bibliografia
ENGEL, V.L.; MORAIS, A.L. & POGGIANI, F. Guia de localização e reconhecimento das principais espécies arbóreas do Parque da Esalq. Relatório de Pesquisa. FEALQ. 1984.

LORENZI, H. Árvores brasileiras. Manual de Identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. Nova Odessa. Ed. Plantarum. 1992. 352p.

CARVALHO, P.E.R. Espécies florestais brasileiras. Recomendações Silviculturais, potencialidades e uso da madeira. EMBRAPA-CNPF. Brasília. 1994. 640p.

BARROSO, M.G. Sistemática de Angiospermas do Brasil. EDUSP. V.1, V.2, V3.




Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais
Avenida Pádua Dias, 11 - Caixa Postal 530 - CEP: 13400-970 - Piracicaba/SP
Reprodução permitida desde que citada a fonte.