Dados da Espécie

Especificações Gerais
Familia: Arecaceae
Nome Científico: Euterpe edulis Mart.
Nomes Comuns: açaí do sul, ensarova, içara, inçara, iuçara, jiçara, juçara, palmiteiro doce, palmiteira, palmito, palmito branco, palmito doce, palmito juçara, palmito vermelho, ripa, ripeira
Crescimento: árvore
Grupo Ecológico: tolerante
Ocorrência: floresta estacional semidecídual , floresta ombrófila densa , cerrado
Distribuição Geográfica: BA ES GO MG MS PE PR RJ RS SC SP
Dispersão: zoocoria
Polinização: cantarofilia
Floração: SET OUT NOV DEZ
Frutificação: MAI JUN JUL AGO

Utilização
Utilizada para: Construção
Celulose
Frutifera

Dados do Caule
Tipo de Copa: irregular
Densidade da Madeira: 0

Dados da Flor
Tamanho da Flor: 4,5
Cor: amarela
Estrutura: espiga
Tipo: Inflorescencia
Sexual: espiga
Observações: As flores são distribuídas em grupos de três, uma feminina entre duas masculinas. A inflorescência é uma espádice de 50 a 80 cm de comprimento.

Dados da Folha
Estrutura: pinada
Tipo: Composta
Forma da Folha: lanceolada
Tamanho da Folha: 40 x 120
Inserção: alterna
Consistência: coriácea
Contem:
Observações: As folhas apresentam bainhas de coloração acastanhada e folíolos longos e estreitos. Elas podem servir de alimentação para o gado.

Dados do Fruto
Tipo do Fruto: drupa
Estrutura: Carnoso
Cor do Fruto: preto
Tamanho: 4
Deiscencia: não
Periodicidade: anual
Observações: O fruto é composto por um epicarpo (casca) pouco espesso e liso.

Dados sobre Pragas e Doenças
Descrição da Doença: Pragas: o inseto mais importante é o coleóptero Rhyncochorus sp. O adulto deposita os ovos na base da folha mais nova do palmiteiro e a larva desenvolve-se alimentando-se das folhas internas, até chegar ao meristema apical, matando a planta. O palmiteiro também pode ser infestado por besouro da família Scolytidae, com danos leves. Doenças: as doenças podem ser causadas por 2 fungos que são facilmente controlados com fungicidas: Diplodia sp. e Triclariopsis paradoxa (queima preta).

Dados das Sementes
Cor da Semente: marrom
Tamanho: 2
Quantidade: 1
Observações: A semente é envolvida por uma cobertura fibrosa.

Técnicas em Viveiro
Beneficiamento: A extração da semente dá-se por lavagem e maceração do fruto para retirar a polpa que envolve as sementes. Após, as sementes devem ser colocadas em peneiras e secas em ambiente ventilado. São recalcitrantes, o que dificulta a sua conservação a longo prazo. Se mantêm por 11 meses em câmara fria (T=7C) e UR= alta), em saco plástico bem fechado.
Sementes por Kilo: 2500
Dormência: sim
Quebra da Dormência: Tratamentos pré-germinativos: a) imersão em água fria por 48h; b) estratificação em areia úmida por 30 dias ou c) escarificação mecânica.
Quebra Natural: 6 meses
Quebra Câmara: 11 meses
Umidade: 50 %
Germinação: 75 % após 90 dias
Condução: sombreado
Formação: a 30 cm em 9 meses
Tolerância: sim, 3 semanas após a germinação.
Plantio: Os poucos dados disponíveis sobre o crescimento do palmiteiro indicam um incremento anual máximo em altura de até 0,75 m e médio de 0,45 m. Demora aproximadamente 10 anos para alcançar tamanho comercial no Brasil. A produtividade dos palmitais nativos é variável, estando relacionada ao tipo de estádio da floresta.
Conservação: muito ameaçada.

Bibliografia
LORENZI, H. Árvores brasileiras. Manual de Identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. Nova Odessa. Ed. Plantarum. 1992. 352p.

CARVALHO, P.E.R. Espécies florestais brasileiras. Recomendações Silviculturais, potencialidades e uso da madeira. EMBRAPA-CNPF. Brasília. 1994. 640p.




Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais
Avenida Pádua Dias, 11 - Caixa Postal 530 - CEP: 13400-970 - Piracicaba/SP
Reprodução permitida desde que citada a fonte.