Dados da Espécie

Especificações Gerais
Familia: Bignoniaceae
Nome Científico: Tabebuia impetiginosa
Nomes Comuns: ipê rosa, ipê preto, ipê rosa de folha larga, ipê rosado, ipê róseo, ipê roxo, ipê roxo de casca lisa, ipê roxo de bola, ipê roxo do grande, ipeúna, ipê de flor roxa, ipê de minas, pau cachorro, pau darco, pau darco rosa, pau darco roxo, piúna, piúva preta.
Crescimento: árvore
Grupo Ecológico: oportunista
Ocorrência: floresta estacional semidecídual , floresta ombrófila densa , cerrado , caatinga
Distribuição Geográfica: AC AL BA CE GO MA MG MS MT PA PB PE PI RJ RN SP
Dispersão: anemocoria
Polinização: melitofilia
Floração: JUL AGO SET OUT
Frutificação: AGO SET OUT NOV

Utilização
Utilizada para: Construção
Carvão
Arborização Urbana
Medicina
Paisagismo

Dados do Caule
Densidade da Madeira: 1

Dados da Flor
Forma da Flor: campânula
Cor: rosada
Tipo: Inflorescencia

Dados da Folha
Estrutura: digitada
Tipo: Composta
Forma da Folha: oblonga
Tamanho da Folha: 12 x 35
Inserção: oposta
Consistência: coriácea
Contem: Nervação
Observações: A nervação apresenta-se bastante nítida, saliente na face inferior, peninérvea e bastante ramificada. Apresenta sabor amargo e cheiro indistinto. Com margem inteira ou levemente serreada até o ápice. Os folíolos apresentam mechas de pêlos na axila da nervura principal com as secundárias.

Dados do Fruto
Tipo do Fruto: síliqua
Estrutura: Seco
Cor do Fruto: preto
Tamanho: 35
Deiscencia: sim
Periodicidade: anual
Observações: O fruto é do tipo síliqua cilíndrica estreita, deiscente. Apresenta numerosas sementes aladas.

Dados sobre Pragas e Doenças
Descrição da Doença: Seus frutos são atacados por insetos.

Dados das Sementes
Forma da Semente: asa
Cor da Semente: marrom
Tamanho: 3
Observações: A semente é cordiforme tendendo a oblonga, plana, com presença de asa menbranácea nas duas extremidades, de cor marrom claro transparente, de até 3 cm de comprimento.

Técnicas em Viveiro
Beneficiamento: Os frutos são coletados quando mudam da coloração verde para parda escura e inicia a disseminação das sementes. A extração das sementes é manual e fácil. Armazenadas em câmara seca (T=20C e UR=45%) e câmara fria (T=3,5C e UR=90%) com 7,8% de umidade inicial, mantiveram a germinação integral após 270 dias.
Sementes por Kilo: 23000
Dormência: não
Quebra Natural: 3 meses
Quebra Câmara: 9 meses
Umidade: 2 %
Germinação: 70 % após 25 dias
Propagação: enxertia
Condução: pleno sol
Formação: a 30 cm em 6 meses
Tolerância: sim, 5 semanas após a germinação.
Plantio: O plantio do ipê-rosa é lento a moderado. Em plantios comerciais, a máxima produção volumétrica obtida foi de 5,50m3/ha/ano. Em plantios com espaçamento 2 x 2 m, a porcentagem de plantas vivas foi de 85%.
Conservação: Muito ameaçada.

Bibliografia
JANKOWSKY, I.P. Madeiras Brasileiras. Caxias do Sul, SPECTRUM, 1990, V.1.

CARVALHO, P.E.R. Espécies florestais brasileiras. Recomendações Silviculturais, potencialidades e uso da madeira. EMBRAPA-CNPF. Brasília. 1994. 640p.

LORENZI, H. Árvores brasileiras. Manual de Identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. Nova Odessa. Ed. Plantarum. 1992. 352p.

ENGEL, V.L.; MORAIS, A.L. & POGGIANI, F. Guia de localização e reconhecimento das principais espécies arbóreas do Parque da Esalq. Relatório de Pesquisa. FEALQ. 1984.

BARROSO, M.G. Sistemática de Angiospermas do Brasil. EDUSP. V.1, V.2, V3.




Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais
Via Comendador Pedro Morganti, 3500 - Bairro Monte Alegre
CEP: 13415-000 - Piracicaba, SP - Brasil
Reprodução permitida desde que citada a fonte.