Dados da Espécie

Especificações Gerais
Familia: Fabaceae
Nome Científico: Mycrocarpus frondousFr. All.
Nomes Comuns: cabriúva, bálsamo, bálsamo caboríba, bálsamo cabureíba, braúna, braúna parda, caboré, caboreíba, caboretinga, cabreúva, cabriúna, cabriúna preta, cabriúva amarela, cabriúva parda, cabriúva preta, cabriúva vermelha, cabrué, caburé, cabureíba, cabureira, conduru de sangue, gabriúva, jataúba, miroé, óleo de cabureíba, óleo de caboreíba, óleo pardo, pau bálsamo, pau de bálsamo, pau de óleo, pau de óleo verdadeiro.
Crescimento: árvore
Grupo Ecológico: oportunista
Ocorrência: floresta estacional semidecídual , floresta ombrófila densa , floresta de araucária
Distribuição Geográfica: BA ES MG MS PR RJ RS SC SP
Dispersão: anemocoria
Polinização: miofilia
Floração: MAI JUN JUL AGO SET OUT
Frutificação: NOV DEZ JAN FEV MAR ABR

Utilização
Utilizada para: Construção
Carvão
Resina
Arborização Urbana
Melífera
Madeira Nobre

Dados do Caule
Tipo de Copa: globosa
Densidade da Madeira: 0,95
Observações: A planta exsuda um líquido aromático, bálsamo, ao se perfurar o tronco com um trado.A presença de óleo é pouco intensa na casca porém, muito intensa no lenho.Resina e goma-resina são extraídas principalmente da casca.

Dados da Flor
Forma da Flor: campânula
Número de Pétalas: 5
Tamanho da Flor: 1
Cor: amarela
Estrutura: cacho
Tipo: Inflorescencia
Sexual: cacho
Observações: As flores são aromáticas, com 1cm de comprimento, em pequenos racemos mais ou menos cilíndricos axilares ou terminais de 2 a 10cm de comprimento.

Dados da Folha
Estrutura: imparipinada
Tipo: Composta
Forma da Folha: oblonga
Tamanho da Folha: 8 x 15
Inserção: alterna
Consistência: foliácea
Contem: Glandulas
Nervação
Observações: Pecíolo e peciólulo curto e aveludado. A forma é oblonga com a ponta acuminada e extremidade ligeiramente excisa. Superfície levemente ondulada, brilhante em ambas as faces. Nervação nítida, peninérvea, ramificada, nervura principal saliente na face inferior. As folhas são providas de glândulas translúcidas.

Dados do Fruto
Tipo do Fruto: sâmara
Estrutura: Seco
Cor do Fruto: amarela
Tamanho: 8
Deiscencia: não
Periodicidade: anual
Observações: O fruto é uma sâmara elíptica, alada, achatada, comprimida, membranosa, em forma de fuso, com as extremidades mais ou menos agudas e contendo na região central uma semente e, ocasionalmente 2.

Dados das Sementes
Forma da Semente: asa
Cor da Semente: amarela
Tamanho: 2
Quantidade: 2
Observações: Semente no centro do fruto, com nervuras anastomosadas e bolsas cheia de resina. Com núcleo seminal cilíndrico, central, alongado, reticulado pela asa. As sementes são resinosas e aromáticas.

Técnicas em Viveiro
Beneficiamento: Os frutos devem ser coletados quando muda de cor. Para tão recomenda-se derrubar os ramos contendo os frutos maduros. As sementes são recalcitrantes, elas apresentam baixa viabilidade em sala (cerca de 6 meses).
Sementes por Kilo: 7500
Dormência: não
Quebra Natural: 2 meses
Quebra Câmara: 6 meses
Germinação: 65 % após 35 dias
Propagação: estaquia
Condução: sombreado
Formação: a 30 cm em 9 meses
Tolerância: sim, 5 semanas após a germinação
Plantio: Apresenta crescimento inicial muito lento. Estando entre as espécies com o pior rítmo de crescimento. Em espaçamento de 4 x 3 m, obtiveram 59,87% de plantas vivas.
Conservação: Muito ameaçada.

Bibliografia
CARVALHO, P.E.R. Espécies florestais brasileiras. Recomendações Silviculturais, potencialidades e uso da madeira. EMBRAPA-CNPF. Brasília. 1994. 640p.

ENGEL, V.L.; MORAIS, A.L. & POGGIANI, F. Guia de localização e reconhecimento das principais espécies arbóreas do Parque da Esalq. Relatório de Pesquisa. FEALQ. 1984.

LORENZI, H. Árvores brasileiras. Manual de Identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. Nova Odessa. Ed. Plantarum. 1992. 352p.

BARROSO, M.G. Sistemática de Angiospermas do Brasil. EDUSP. V.1, V.2, V3.




Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais
Via Comendador Pedro Morganti, 3500 - Bairro Monte Alegre
CEP: 13415-000 - Piracicaba, SP - Brasil
Reprodução permitida desde que citada a fonte.