Dados da Espécie

Especificações Gerais
Familia: Lauraceae
Nome Científico: Nectandra lanceolata Nees et Mart. ex Nees
Nomes Comuns: ajuba, canela, canela amargosa, canela branca, canela fedorenta, canela gigante, canela goiaba, canela inhuveira, canela pitanga, canela sassafrás, canela vermelha, canela da várzea, canela do brejo, canelão, espora de galo, louro, louro amarelo, louro amargoso, louro besuntão, louro do brejo, louro fedorento, louro goiaba, louro preto, pau de santana
Crescimento: árvore
Grupo Ecológico: oportunista
Ocorrência: floresta estacional semidecídual , floresta ombrófila densa , floresta de araucária
Distribuição Geográfica: AL BA ES GO MG MS PR RJ RS SC SE SP
Dispersão: zoocoria
Floração: AGO SET OUT
Frutificação: FEV MAR ABR

Utilização
Utilizada para: Construção
Carvão
Arborização Urbana
Paisagismo

Dados do Caule
Tipo de Copa: irregular
Densidade da Madeira: 0,7
Observações: A casca apresenta uma espessura de até 20 mm, sendo que a casca externa apresenta abundantes lenticelas e as vezes pode estar coberta por líquens e a casca interna apresenta numerosas estrias escuras com odor característico.

Dados da Flor
Forma da Flor: urceolada
Número de Pétalas: 5
Tamanho da Flor: 6,5
Cor: branca
Estrutura: cacho
Tipo: Inflorescencia
Sexual: cacho
Observações: As flores são vistosas e apresentam indumento ferrugíneo.

Dados da Folha
Tipo: Simples
Forma da Folha: lanceolada
Tamanho da Folha: 6 x 20
Inserção: alterna
Consistência: coriácea
Contem:
Observações: As folhas são glabras na face superior e pilosa-tomentosa na inferior. As folhas novas apresentam indumento ferrugíneo.

Dados do Fruto
Tipo do Fruto: baga
Estrutura: Carnoso
Cor do Fruto: preta
Tamanho: 1,5
Deiscencia: não
Periodicidade: anual
Observações: O fruto apresenta uma cúpula discóide que cobre 1/4 da semente.

Dados sobre Pragas e Doenças
Descrição da Doença: Pragas: o coleóptero cerambicídeo Oncideres spp., "serrador", com danos em plantas com até 10 cm de diâmetro e besouros da família Scolytidae. Doenças: os frutos são freqüentemente atacados, na árvore, pelo fungo Botryoconis pallida, reduzindo consideravelmente a produção de sementes férteis.

Dados das Sementes
Cor da Semente: castanha
Tamanho: 1,1
Observações: A semente apresenta estrias pretas tendo forma elíptica.

Técnicas em Viveiro
Beneficiamento: A semente é extraída do fruto por maceração, após permanência em água. A semente, depois de tirada a polpa envoltória, deve ser seca em ambiente ventilado. As sementes tem viabilidade curta em sala.
Sementes por Kilo: 1400
Dormência: sim
Quebra da Dormência: As sementes tem dormência dupla, sendo recomendado tratamento pré germinativo, escarificação em ácido sulfúrico concentrado por 5 minutos, associada a estratificação em areia úmida por 30 dias.
Quebra Natural: 4 meses
Quebra Câmara: 8 meses
Umidade: 0 %
Germinação: 60 % após 75 dias
Condução: sombreado
Formação: a 30 cm em 9 meses
Tolerância: sim, 5 semanas após a germinação.
Plantio: Existem poucos dados de crescimento desta espécie em plantios experimentais indicando crescimento moderado, com produtividade até 10,40 m3/ha/ano, com casca, aos 14 anos. O espaçamento médio utilizado é 2 x 2m, onde a porcentagem média de plantas vivas é 61%.
Conservação: Muito ameaçada.

Bibliografia
LORENZI, H. Árvores brasileiras. Manual de Identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. Nova Odessa. Ed. Plantarum. 1992. 352p.

CARVALHO, P.E.R. Espécies florestais brasileiras. Recomendações Silviculturais, potencialidades e uso da madeira. EMBRAPA-CNPF. Brasília. 1994. 640p.

BARROSO, M.G. Sistemática de Angiospermas do Brasil. EDUSP. V.1, V.2, V3.




Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais
Via Comendador Pedro Morganti, 3500 - Bairro Monte Alegre
CEP: 13415-000 - Piracicaba, SP - Brasil
Reprodução permitida desde que citada a fonte.