Dados da Espécie

Especificações Gerais
Familia: Boraginaceae
Nome Científico: Cordia goeldiana Huber
Nomes Comuns: freijó, cordia preta, frei jorge, freijó cinza
Crescimento: árvore
Ocorrência: floresta amazônica (terra firme)
Distribuição Geográfica: AM PA
Dispersão: anemocoria
Floração: SET OUT NOV DEZ
Frutificação: NOV DEZ JAN

Utilização
Utilizada para: Construção
Paisagismo
Madeira Nobre

Dados do Caule
Tipo de Copa: irregular
Tipo de Estrutura: não há
Densidade da Madeira: 0,59
Observações: Moderadamente pesada, textura média, grã direita, superfície lustrosa, de casca muito grossa, soltando placas. Casca fendilhada e escamosa.

Dados da Flor
Forma da Flor: tubulosa
Número de Pétalas: 5
Tamanho da Flor: 3
Cor: branca
Estrutura: cacho
Tipo: Inflorescencia
Sexual: cacho
Observações: Panícula terminal, 7-12cm, branca durante floração, castanha durante frutificação, devido as corolas marcescentes com esta coloração.

Dados da Folha
Tipo: Simples
Forma da Folha: oblonga/obavada
Tamanho da Folha: 5,5x11,0
Inserção: alterna
Consistência: foliácea
Contem:
Observações: Folha glabra. Árvore 10-20m x 40-60cm, semidecídua. Freqüência de 0,1-0,6 arv/ha e volume 0,3-1,1m/ha.

Dados do Fruto
Estrutura: Seco
Cor do Fruto: cinza
Tamanho: 2
Deiscencia: não
Periodicidade: anual
Observações: Estilete e cálice persistentes; a corola também é persistente, marcescente de cor castanha, que lembra um paraquedas, planando facilmente.

Dados sobre Pragas e Doenças
Descrição da Doença: Moderada resistência ao ataque de organismos xilófagos na madeira.

Dados das Sementes

Técnicas em Viveiro
Beneficiamento: Colher os frutos diretamente da árvore quando iniciarem a queda espontânea. Em seguida deixá-los ao sol para secarem e facilitar a eliminação das pétalas secas aderidas ao fruto através de esfregação manual, não eliminando porém as sépalas que ficam aderentes ao fruto. A retirada das sépalas, bem como das sementes que ficam no interior dos frutos é praticamente impossível, podendo ser plantadas como se fossem verdadeiras sementes.
Sementes por Kilo: 37000
Quebra da Dormência: Frutos com cálice aderente devem ser postos para germinar logo que colhidos em canteiros com substrato organo-arenosos cobertos com camada fina de substrato. Regar duas vezes ao dia.
Quebra Natural: 3 meses
Quebra Câmara: 12 meses
Condução: semi-sombreado
Formação: a 30 cm em 0 meses
Tolerância: sim. 4-6 cm
Plantio: As mudas estão prontas para plantio definitivo aos 4-5 meses. Alcança 3 m em 2 anos. Muito estudada silviculturalmente. Melhores resultados em sombra parcial com o método recr³. Aos 4 anos de idade, o incremento médio anual em altura foi de 2,04 m e 2,49 cm em diâmetro. Conversão de capoeira em povoamentos florestais pelo método acima tem mostrado ser muito viável. Embora com alto conteúdo de informações para diversos programas de plantações, existe dificuldade de se estabelecer áreas para a produção de sementes em grandes quantidades, o que tem impedido sua utilização por parte das empresas. A dificuldade está tanto na coleta de sementes como na produção de material vegetativo para um programa de produção clonal. Variabilidade fenotípica quanto á forma, inserção de ramos, comprimento de internódios, entre outros, associada a diferentes condições de plantios, sugere ser a espécie promissora quanto ao melhoramento genético.

Bibliografia
SILVA, M.F.; LISBOA, P.L.B.; LISBOA, R.C.L. Nomes vulgares das plantas amazônicas. CNPq INPA. Manaus.. 1977. 222p.

YARED, J.G.A. Silvicultura de algumas espécies nativas da Amazônia. In: 6¦ Congresso Florestal Brasileiro, Campos do Jordão, SP. V1:119-122. Trabalho convidado. 1990. 155p.

YARED, J.A.G. & CARPANEZZI, A.A. Conversão de capoeira alta da Amazônia em povoamento de produção madereira: o método do Recrüe espécies promissoras. CPATU-EMBRAPA. Boletim de Pesquisa, 25. Belém, PA. 1981. 27p.

LORENZI, H. Árvores brasileiras. Manual de Identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. Nova Odessa. Ed. Plantarum. 1992. 352p.

RIZZINI, C.T. Árvores e madeiras úteis do Brasil. Manual de dendrologia brasileira. Ed. Edgar Bluncher. 294p.




Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais
Via Comendador Pedro Morganti, 3500 - Bairro Monte Alegre
CEP: 13415-000 - Piracicaba, SP - Brasil
Reprodução permitida desde que citada a fonte.