Scientia Forestalis, volume 46, n. 118
p.167-175, junho de 2018
DOI: dx.doi.org/10.18671/scifor.v46n118.03

Damage to residual trees following commercial thinning by harvester and forwarder in a Pinus taeda stand in Southern Brazil

Danos às árvores remanescentes de um desbaste por harvester e forwarder em um povoamento de Pinus taeda no sul do Brasil

Eduardo Silva Lopes1
Felipe Martins Oliveira2
Andre Droog3

1Associate Professor at Forestry Departament. UNICENTRO - Universidade Estadual do Centro-Oeste. PR 153, KM 7 – Postal Code: 21 - 84500000 - Irati, PR, Brasil. E-mail: eslopes@irati.unicentro.br.
2PhD Student. UNICENTRO - Universidade Estadual do Centro-Oeste. PR 153, KM 7 – Postal Code: 21 - 84500000 - Irati, PR, Brasil. E-mail: eng.oliveirafm@gmail.com.
3Forestry Student. UNICENTRO - Universidade Estadual do Centro-Oeste. PR 153, KM 7 – Postal Code: 21 - 84500000 - Irati, PR, Brasil. E-mail: andredroog@gmail.com

Received on 02/09/2017 - Accepted on 10/24/2017

Resumo

Objetivou-se neste trabalho avaliar os danos causados às árvores remanescentes de um povoamento florestal submetido ao desbaste pelo harvester e pelo forwarder com rodados de pneus. O estudo foi realizado em uma empresa localizada no Estado do Paraná, região Sul do Brasil, em povoamentos de Pinus taeda L. com idade de 12 anos submetido ao primeiro desbaste, nas declividades do terreno de 0 a 10° e 10 a 20°. Foram avaliados os danos causados nas árvores pelos harvester e forwarder, por meio da intensidade, localização e dimensões. Os danos foram comparados pelo teste t ao nível de 5% de probabilidade, enquanto os dados das dimensões dos danos foram analisados por meio dos valores mínimos, médios e máximos. Os resultados mostraram um elevado percentual de danos nas árvores após a execução da colheita de madeira, com 36,1% e 29,1% nas declividades de 0 a 10º e 10 a 20º, respectivamente, porém sem apresentar diferença estatística. Os maiores danos foram no tronco das árvores com 11,6%, nas faces voltadas para a estrada e povoamento e com área média abaixo de 100 cm², sendo tais resultados explicados pela movimentação da grua do harvester no corte das árvores selecionadas para desbaste seletivo. O harvester de pneus causou elevados danos nas árvores do povoamento, não sendo recomendado este modelo de máquina na execução do primeiro desbaste em florestas plantadas.
Palavras-chave: Desbaste mecanizado, colheita de madeira, qualidade.

Abstract

This study assessed the damage to residual trees in forest stands thinned by both a wheeled harvester and a forwarder. Data collection took place at a company located in the State of Paraná, in Southern Brazil; in 12-year-old Pinus taeda stands conducted to their first thinning; and in terrains from 0 to 10º and 10 to 20º slope classes. Damage to residual trees was assessed by intensity, location, and wound area. Damage was compared by the t-test at a 5% probability level, while wound area was analyzed by minimum, mean and maximum values. Results showed high total damage percentages after the harvesting, with 36.1% and 29.1% in the 0 to 10º and 10 to 20º slopes, respectively, but without statistical difference. Most of the damage was caused by the movement of the harvester boom while cutting trees during the selective thinning process. Moreover, most of the damage appeared on the trunks of 11.6% residual trees, on the sides facing the road and the stand, with an mean wound area under 100 cm². The wheeled harvester is not recommended for the first thinning in planted forests, because of the high damage to residual trees.
Keywords: Mechanized thinning, timber harvesting, wood quality.





Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais
Via Comendador Pedro Morganti, 3500 - Bairro Monte Alegre
CEP: 13415-000 - Piracicaba, SP - Brasil
Reprodução permitida desde que citada a fonte.