O Programa Cooperativo sobre Modelagem da Produtividade de Florestas Plantadas de Eucalyptus (ModProd) do IPEF, que surge em continuidade ao TECHS, abordará o tema da modelagem ecofisiologica e híbrida da produtividade de plantações de Eucalyptus. Para tanto, o Programa ModProd irá consolidar bancos de dados de diferentes projetos de pesquisa já realizados no IPEF, sobre os temas ecofisiologia e modelagem de plantações de Eucalyptus, em um único sistema robusto que viabilize novas análises, atualmente impossíveis de serem feitas pela desconexão entre esses diferentes grupos de dados.

As pesquisas focarão em duas abordagens de modelagem da produtividade que são complementares. Uma delas será a ecofisiológica propriamente dita, e a outra híbrida, que integra conceitos de ecofisiologia a modelos empíricos. Serão utilizados o banco de dados já existente do Programa TECHS, além de outros bancos de dados importantes que estão disponíveis por meio de publicações científicas, sem a necessidade de novos experimentos ou novas coletas de dados em campo.

Tem como objetivo desenvolver ferramentas de estimativa da produtividade de florestas plantadas de Eucalyptus, com potencial efetivo de implementação para aplicação no manejo florestal.

Abordagem para a modelagem ecofisiológica

A linha de modelagem ecofisiológica será desenvolvida utilizando a base teórica de modelos como o G’DAY, já conhecidos no setor florestal, porém com potencial para serem mais explorados de forma aplicada e com finalidade prática ao manejo florestal. Com o uso do expressivo banco de dados citado acima, será possível o aprimoramento de uma série de funções que descrevem as respostas do Eucalyptus às condições de clima, solo e manejo. Adicionalmente, devido a grande amplitude de clones estudados durante o projeto TECHS será possível especificar as funções de resposta para grupos de clones, identificando características de comportamento que descrevam clones em função do seu nível de produtividade e tolerância aos estresses ambientais.

Abordagem para a modelagem híbrida

A linha de modelagem híbrida, integrará os conceitos ecofisiológicos a uma robusta fundamentação estatística de modelos empíricos. Este tipo de abordagem vem ganhando bastante notoriedade no meio acadêmico da Ciência Florestal, e sua aplicação prática já foi mostrada de forma clara em estudos que foram realizados pelo Programa TECHS.

Para a modelagem híbrida da produtividade será utilizada a abordagem de assimilação de séries de dados, fazendo com que o modelo ganhe em precisão a cada novo grupo de dados que é incorporado ao banco de dados inicial ao longo do tempo. Esse método é bastante robusto não só para realizar estimativas de produção baseando-se em variáveis ecofisiológicas, meteorológicas e de solo, mas também para estimar as incertezas associadas a tais estimativas.

Aplicando essa metodologia será possível realizar estimativas de produtividade utilizando o banco de dados do TECHS. Além disso, também será calculada a probabilidade de um determinado clone atingir uma determinada produtividade em cada região do Brasil, em função de clima e solo, identificando as incertezas e erros associados a tais estimativas. Os resultados das estimativas de produtividade e suas probabilidades de ocorrência, serão espacializados para as regiões de interesse do grupo de empresas ligadas ao ModProd.

Principais desafios e ações

O Programa ModProd será desenvolvido em três grandes etapas:
- Durante a fase inicial os esforços serão focados na integração de diferentes bases de dados e parâmetros, que serão estruturados especificamente para o desenvolvimento da modelagem ecofisiológica e híbrida. Será realizada também a incorporação de outros bancos de dados disponíveis visando aumentar a abrangência e robustez da base de dados;
- A segunda fase será focada na parametrização e calibração dos modelos, momento em que o banco de dados será acoplado aos modelos para realização das simulações de produtividade e determinação das incertezas associadas às estimativas;
- A terceira etapa será de validação dos modelos, utilizando o banco de dados do TECHS, e eventualmente dados específicos fornecidos pelas empresas. Essa fase é essencial para determinação da confiabilidade das estimativas e garantia de que os modelos realmente estão corretos, podendo ser aplicados ao uso prático do manejo florestal de forma confiável.

Liderança Científica e Gestão

- Otávio Camargo Campoe - UFLA - Lider Científico

Contato

- Clique aqui para enviar e-mail

Empresas filiadas

- Bracell
- Celulose Nipo-Brasileira S.A. - CENIBRA
- CMPC - Celulose Riograndense Ltda
- Duratex Florestal Ltda.
- Eldorado Brasil Celulose S/A
- Gerdau Aços Longos S.A.
- Klabin S/A.
- Suzano S.A.
- Veracel Celulose S.A.

Instituições colaboradoras

- CIRAD
- Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa
- Universidade Federal de Lavras - UFLA
- University of Georgia