Programa Cooperativo sobre Mecanização e Automação Florestal (PCMAF)

Antes abundante, a mão de obra junto ao setor florestal vem se reduzindo, diante da oferta alternativas de emprego em atividades menos laboriosas em outros setores produtivos. Associado a isso, os custos inerentes às contratações têm aumentado. As regiões de tradicional cultivo de espécies florestais, como Minas Gerais e São Paulo, e as novas fronteiras no Mato Grosso do Sul, já sentem a pressão de escassez, particularmente, em relação às atividades que exigem ações manuais.

Visando reduzir essa problemática e permitir a manutenção da competitividade da silvicultura brasileira, hoje, investimentos e pesquisas têm sido realizados, com a introdução de novas máquinas, implementos e tecnologias. Contudo, muitas vezes, devido à falta de escala de produção, o desenvolvimento de novos equipamentos se restringe a adaptações de máquinas agrícolas à realidade florestal. Como consequência, a disponibilidade mecânica e/ou qualidade destas máquinas não atendem às necessidades silviculturais.

É nesse contexto, que o Programa Cooperativo sobre Mecanização e Automação Florestal (PCMAF), em consonância com as suas empresas filiadas, tem procurado incrementar a representatividade do setor florestal no mercado de máquinas e equipamentos. Além disso, tem procurado contribuir para o aumento da produtividade e da qualidade das operações silviculturais, mediante estudos sobre mecanização e automação de processos, além de atuar na prospecção e avaliação de equipamentos e máquinas florestais.

Principais desafios e ações

- Avaliações de equipamentos e sistemas;
- Mecanização do plantio;
- Mecanização das operações de manutenção;
- Silvicultura de precisão;
- Automação e robótica.

Soluções e conquistas recentes

- Gerou inédita publicação sobre o status da mecanização da silvicultura no Brasil (Eucalipto e Pinus);
- Desenvolveu, em cooperação com as empresas filiadas e fornecedores de máquinas e equipamentos, um trator florestal para operações silviculturais;
- Desenvolvimento de haste subsoladora tridente para preparo de solo profundo;
- Benchmarking florestal e avaliação de plantadoras mecanizadas e automáticas de 1, 2 ou linhas;
- Avaliação do desempenho e assertividade de sistemas de irrigação com reconhecimento automático de mudas para 1, 2 ou 3 linhas;
- Benchmarking florestal com 14 fornecedores de tecnologias ou prestadores de serviço na operação de drones para controle de pragas e aplicação de herbicidas;
- Benchmarking internacional de tratores florestais para operações de silvicultura.

Liderança Científica e Gestão

- Saulo Guerra - FCA/UNESP - Líder Científico
- Guilherme Oguri - IPEF - Coordenador Executivo

Contato

- Clique aqui para enviar e-mail

Empresas filiadas

- ArcelorMittal BioFlorestas Ltda
- Bracell
- Celulose Nipo-Brasileira S.A. - CENIBRA
- CMPC - Celulose Riograndense Ltda
- DEXCO S.A.
- Eldorado Brasil Celulose S/A
- Gerdau Aços Longos S.A.
- Klabin S/A.
- Suzano S.A.
- Sylvamo do Brasil Ltda.
- Vallourec Tubos do Brasil Ltda.

Instituições colaboradoras

- Faculdade de Ciências Agronômicas - FCA/UNESP
- Laboratório Agroflorestal de Biomassa e Bioenergia - LABB / Instituto de Pesquisa em Bioenergia – IPBEN/UNESP
- Universidade Federal de Santa Maria - UFSM
- Universidade Federal de Uberlândia - UFU