O Programa Cooperativo sobre Proteção Florestal (PROTEF) do IPEF foi o primeiro programa de âmbito nacional relacionado com pragas florestais foi criado em 1989. Os objetivos básicos eram o levantamento e identificação dos insetos presentes nos plantios florestais, sendo denominado PCMIF - Programa Cooperativo de Monitoramento de Insetos em Florestas, congregando 16 empresas do setor florestal, sob a administração e coordenação geral do IPEF.

Em 1993, o Programa entrou em uma nova fase, sendo denominado PCMIP - Programa Cooperativo para o Manejo de Pragas Florestais e buscou uma maior interação entre as empresas associadas, desenvolvendo projetos de pesquisa cooperativos.

Em 1999 o amadurecimento do Programa incorporou a área de doenças florestais, sendo denominado Programa Temático de Manejo Integrado de Pragas e Doenças Florestais, iniciando os trabalhos com o desenvolvimento de um projeto de pesquisa na área de identificação e manejo de doenças do eucalipto.

No ano de 2000, atendendo a demanda das empresas florestais, o Programa incorporou a área de controle de incêndios florestais e passou a ser denominado Programa Cooperativo sobre Proteção Florestal - PROTEF. O PROTEF tem sob sua coordenação vários projetos de pesquisa e de extensão sobre manejo de pragas e doenças florestais.

Principais desafios e ações

- Aprimorar técnicas e métodos para produção massal de inimigos naturais para pragas de eucalipto;
- Elevar o uso de microrganismos entomopatogênicos (fungos, bactérias e vírus) no controle de pragas florestais;
- Aumentar o oferecimento de treinamentos sobre técnicas de criação massal de inimigos naturais;
- Desenvolver novos métodos para monitoramento de pragas florestais;
- Atualizar as listas de pragas quarentenárias baseado no documento de análise de risco de patógenos e insetos exóticos com potencial para se tornarem pragas de eucalipto e Pinus.

Soluções e conquistas recentes

- Identificou e atuou na importação de 3 agentes de controle biológico para as principais pragas exóticas do eucalipto;
- Desenvolveu protocolos de produção em laboratório para agentes de controle biológico para as principais pragas do eucalipto;
- Atuou nas ações de registro de cerca de 30 novos pesticidas para Pinus e eucalipto;
- Construiu 4 documentos contendo os potenciais insetos e patógenos exóticos de pinus e eucalipto que podem ser introduzidos no país;
- Atuou na prospecção e seleção de propostas para controle de formigas cortadeiras no Radar de Inovação IPEF;
- Atuou na implantação da nova Política de Pesticidas FSC e construção das Análises de Risco Socioambientais.

Liderança Científica e Gestão

- Carlos Frederico Wilcken – FCA/UNESP – Líder Científico

Contato

- Clique aqui para enviar e-mail

Empresas filiadas

- Anglo American Niquel Brasil Ltda
- Aperam BioEnergia Ltda
- ArcelorMittal BioFlorestas Ltda
- Bracell
- Caravelas Florestal S.A.
- Celulose Nipo-Brasileira S.A. - CENIBRA
- CMPC - Celulose Riograndense Ltda
- BrasilWood Reflorestamento S.A.
- Duratex Florestal Ltda.
- Eldorado Brasil Celulose S/A
- Eucatex S/A
- Gerdau Aços Longos S.A.
- International Paper do Brasil Ltda
- Klabin S/A.
- Suzano S.A.
- TTG Brasil
- UPM Forestal Oriental
- Vallourec Tubos do Brasil Ltda.
- Veracel Celulose S.A.

Instituições colaboradoras

- Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa
- Faculdade de Ciências Agronômicas - FCA/UNESP
- Forestry and Agricultural Biotechnology Institute - FABI
- Universidade Federal de Viçosa - UFV
- University of the Sunshine Coast - USC